Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Acúmulo de gordura

Prevenção de infarto se apóia no uso da tecnologia

Redação Bonde
26 abr 2007 às 13:49
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Doenças cardiovasculares representam cerca de 30% das mortes no Brasil, segundo dados do Datasus (Departamento de Informática do SUS). Com avanços nos tratamentos do câncer e das doenças infecciosas, aumentam-se os esforços na prevenção do infarto agudo do miocárdio. "A contribuição dos exames de imagem vem crescendo na medida em que conseguimos viabilizar o uso de tecnologia avançada antes mesmo que o paciente descubra que tem fatores de risco para a doença arterial coronária", diz o doutor Roberto Sasdelli Neto, médico radiologista da URP Diagnósticos Médicos, de São Paulo.

De acordo com o especialista, o emprego da tomografia computadorizada cardíaca (TC cardíaca) supera o cateterismo cardíaco no aumento de detecção de acúmulo de gordura nas paredes das artérias, em rapidez – já que o exame é realizado em menos de 20 minutos – e em conforto para o paciente, uma vez que trata-se de um método diagnóstico minimamente invasivo.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


"O paciente é submetido apenas a uma injeção na veia periférica contendo um meio de contraste iodado. A tendência para o futuro, com a evolução tecnológica, é a ampliação do uso da TC cardíaca", diz o médico.

Leia mais:

Imagem de destaque
Futebol americano

Causa da morte de O. J. Simpson é revelada em sua certidão de óbito

Imagem de destaque
Impasse

ByteDance diz que prefere fechar TikTok nos EUA do que vender aplicativo

Imagem de destaque
Ataques políticos

Fala sobre escravidão constrange presidente de Portugal em festa da Revolução dos Cravos

Imagem de destaque
Fase final do concurso

Jovem de Altônia é favorita no Miss Teen Universe 2024 em Punta Cana


Sasdelli Neto diz que exames como a ultra-sonografia intravascular (IVUS) – considerada ‘padrão ouro’ entre os métodos complementares utilizados durante o cateterismo – e a ressonância magnética (RM) são mais exatos na caracterização da placa, mas esbarram em limitações impostas pela disponibilidade, como exigência de pessoal treinado e grandes investimentos financeiros na aquisição dos aparelhos.


Principais fatores de risco para doenças do coração

Entre os fatores de risco não-modificáveis, constam: sexo masculino, idade avançada e história familiar de doença cardíaca prematura. Vale lembrar que episódios de infarto agudo do miocárdio vêm aumentando também entre as mulheres. Já os fatores de risco modificáveis, ou seja, que podem ser evitados e controlados, incluem: dislipidemia (alterações do colesterol e triglicerídios), tabagismo, hipertensão, obesidade, diabetes e sedentarismo.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade