Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Em Curitiba

Compra de meio-ingresso vira caso de polícia

Diego Ribeiro - Folha de Londrina
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

A tentativa de comprar meia-entrada para o festival de música sertaneja que ocorrerá em Curitiba, no próximo final de semana, causou transtornos para um cliente, no Shopping Müller, no Centro Cívico. O caso ocorreu no final da tarde de terça-feira e foi parar no 8º Distrito Policial.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

O cliente, um tenente da Polícia Militar (PM), foi a um quiosque de revenda de ingressos com a noiva. Ambos são estudantes. Ao pedirem duas meia-entradas, a vendedora se recusou e cobraria R$ 93 o ingresso masculino e R$ 83 o feminino. ‘Eu estava de folga e com roupa normal. Estou fazendo uma graduação e minha noiva também. Solicitamos o desconto para estudante como a lei determina’, contou o tenente da PM, Nelson Ferreira dos Santos, que ressaltou que não comprou os ingressos como PM, mas como cidadão comum.

Continua depois da publicidade


De acordo com o tenente, quando a vendedora se recusou a fazer a venda da meia-entrada, ele insistiu para que conversasse com a gerência, mas ao receber novamente a negativa, Santos ligou para o telefone 190, onde solicitou atendimento em razão do não cumprimento da lei.


‘Tanto eu estava como civil que a viatura demorou 50 minutos para chegar’, argumentou. Segundo Santos, a empresa sonegou um serviço e feriu a lei estadual nº 11.182/1995 que assegura o pagamento de metade do valor efetivamente cobrado para ingresso em casas de diversões, espetáculos, praças esportivas e similares, aos estudantes regularmente matriculados em estabelecimentos de ensino, conforme especifica.

A vendedora e Santos foram para o 8º DP e o dono da empresa de venda de ingressos tentou oferecer entradas gratuitas. Santos disse que recusou e pagou meia-entrada. A empresa foi procurada pela reportagem de FOLHA, mas o responsável não foi encontrado para comentar o fato.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade