Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Saúde

Doenças de inverno aumentam 50% entre crianças

Redação - Bonde
11 jul 2003 às 15:50
Continua depois da publicidade

Dados da Secretaria Estadual da Saúde apontam que de cada 10 crianças que recebem atendimento ambulatorial pelo Sistema Único de Sáude no Paraná, oito possuem doenças respiratórias devido à chegada do inverno.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Em Curitiba, os hospitais registraram um crescimento de 50% dos casos de doenças respiratórias em crianças de zero a cinco anos apenas na primeira semana do mês de julho. As informações xsão da Secretaria Estadul de Comunicação.

Continua depois da publicidade


Crianças e idosos que vivem nas regiões onde há mais umidade e as temperaturas são menores - como Curitiba, Região Metropolitana e Litoral - são os mais suscetíveis às chamadas doenças de inverno em função da baixa imunidade.


As doenças de inverno mais comuns atingem a garganta e o aparelho respiratório, principalmente as vias respiratórias superiores - nariz, garganta, ouvidos e pulmões - como gripes, resfriados, pneumonias, bronquites, sinusites, alergias e escarlatina.


Se tratadas adequadamente, essas doenças não têm maior gravidade, embora tragam grande desconforto mas, se não forem tratadas podem até levar à morte.

Continua depois da publicidade


Segundo a Secretaria da Saúde, a população deve ficar atenta aos sintomas que, em geral, se manifestam através de secreções amareladas ou muito espessas, febre alta, dores fortes na cabeça ou no peito e dificuldades respiratórias. Estes sintomas já indicam a necessidade de tratamento de emergência, muitas vezes com hospitalização.


No final do inverno e início da primavera, doenças como sarampo, rubéola, varicela e meningite tendem a se propagar com mais facilidade porque o clima frio acaba fazendo com que as pessoas mantenham os ambientes fechados e sem ventilação.

"Medidas simples como abrir as janelas, permitir uma boa ventilação dos ambientes e cuidar da higiene podem evitar a propagação das mais diversas doenças, desde uma gripe até um caso bem mais sério, de meningite", disse o secretário da Saúde Cláudio Xavier.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade