Pesquisar

Canais

Serviços

- AEN
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Disputa nazista

Governador quer punição a 'ideologia estúpida'

Agência Estadual de Notícias
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

O governador Roberto Requião afirmou, nesta terça-feira (5), durante a Escola de Governo, que a polícia vai combater com rigor manifestações nazistas e vai aprofundar as investigações para detectar núcleos de movimentos como esse no Estado. "Devem ser levadas ao Tribunal todas as pessoas vinculadas a essa ideologia absolutamente estúpida", declarou.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Requião também ressaltou a ação policial que solucionou o assassinato de um casal de universitários, mês passado, em Quatro Barras, na Região Metropolitana de Curitiba. Os estudantes participavam de uma reunião do movimento neonazista e foram mortos por desentendimento no grupo. O esquema foi descoberto por policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) do Paraná, que prenderam seis pessoas, inclusive o líder do movimento neonazista no Brasil.

Continua depois da publicidade


A recomendação do Estado, conforme declarado pelo governador, é para que as investigações sejam aprofundadas, para identificar mesmo aqueles que participaram de reuniões com ou sem violência. "O nazismo é intolerante e não pode ser tolerado num estado democrático como o Paraná e num país como o Brasil. Espero rapidamente resultados da nossa polícia e do Ministério Público. Vamos levar todos à barra dos tribunais".


"A tolerância tolera tudo, menos a intolerância. E a intolerância do nazismo precisa ser combatida aqui com todo o rigor possível de nossa estrutura policial. O Paraná não aceita o nazismo de forma alguma", acrescentou.


CRIME – No fim da semana passada, o Cope prendeu, em São Paulo, Ricardo Barollo, 34 anos, apontado como líder do movimento neonazista no Brasil. Ele é acusado de ser o mandante da morte de Bernardo Dayrell Pedroso, 24 anos e Renata Waeschter Ferreira, 21, na madrugada de 21 de abril. O casal participava de uma festa em comemoração aos 120 anos de Adolf Hitler, em uma chácara em Campina Grande do Sul, Região Metropolitana de Curitiba.

Continua depois da publicidade

Outras cinco pessoas foram presas. Dezesseis mandados de busca e apreensão foram cumpridos. A operação policial se estendeu por São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul – onde a arma do crime foi encontrada na noite de sexta-feira (1º). Vasto material de apologia ao nazismo foi encontrado e apreendido pelos policiais, entre eles plano de formação de um novo país, dentro da ideologia nazista.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade