Pesquisar

Canais

Serviços

Reprodução/Pixabay
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Denúncias

Professora é afastada após suposto caso de xenofobia em Cambé

Micaela Orikasa/ Grupo Folha
05 out 2021 às 15:47
Continua depois da publicidade

Uma professora da rede municipal de ensino de Cambé, na Região Metropolitana de Londrina, está temporariamente afastada da sala de aula por suposto caso de xenofobia contra um aluno haitiano, do 5º ano do ensino fundamental.  A situação ocorreu no dia 30 de setembro e foi reportada à Secretaria Municipal de Educação pela direção da escola. De acordo com a secretaria da pasta, Estela Camata, o caso foi presenciado por outros funcionários no horário de intervalo.  

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


“As crianças aguardavam em fila para receber a merenda e o aluno não estava respeitando a orientação da funcionária responsável pela organização. Ela teria chamado a atenção do aluno por várias vezes, o que levou a professora a intervir. Neste momento, a professora teria dito que ele tinha que 'obedecer às regras porque aqui é o Brasil, que tem leis. Não é a África’”, detalha. O Haiti é um país localizado no Caribe.  

Continua depois da publicidade


Ao tomar conhecimento sobre o caso, a direção fez uma ata de orientação para a professora pela conduta e os pais foram chamados. “Foi tudo explicado e eles se mostraram compreensivos. Nos reunimos com a direção, a coordenação e a professora e decidimos pelo afastamento dela até que a Corregedoria faça a apuração dos fatos”, afirma. A professora já trabalha há alguns anos na rede de ensino de Cambé e, neste momento, está desempenhando funções administrativas.


De acordo com Camata, a servidora alegou que “a intenção foi somente de chamar atenção para que o aluno voltasse para a fila e não desrespeitasse a ordem da funcionária”. A secretária destacou que a rede municipal vem cumprindo com os protocolos de distanciamento em todos os espaços da escola, em função da pandemia de coronavírus.  

Continua depois da publicidade


Imigrantes


Atualmente, o município tem aproximadamente 100 alunos imigrantes matriculados na rede municipal e, segundo Camata, esse tipo de situação nunca havia acontecido antes nas escolas de Cambé. Ela cita que esses estudantes e familiares recebem um atendimento especializado ao ingressarem na rede de educação, especialmente aqueles que estão em fase de alfabetização. 


Leia mais na Folha de Londrina. 

Continue lendo