Pesquisar

Canais

Serviços

- PMPR
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Crime organizado

Comando-geral diz que inteligência da PM sabia da ação em Guarapuava

Simoni Saris - Grupo Folha
18 abr 2022 às 15:58
Continua depois da publicidade

O comandante-geral da Polícia Militar no Paraná, coronel Hudson Leôncio Teixeira, e o secretário de estado da Segurança Pública, coronel Rômulo Marinho Soares, disseram, nesta segunda-feira (18), que o serviço de inteligência das forças de segurança já havia identificado a possibilidade de que uma quadrilha invadisse Guarapuava (Centro) e preparou um plano de contingenciamento para conter a ação de criminosos. 

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


O município é base operacional de uma empresa transporte de valores que estava na mira de um bando de cerca de 30 criminosos fortemente armados que invadiu a cidade na noite de domingo (17). A população viveu momentos de terror. Para evitar a atuação policial, os criminosos incendiaram veículos, fizeram moradores de reféns e houve confronto com a polícia. Três pessoas ficaram feridas. 

Continua depois da publicidade


LEIA TAMBÉM: Quadrilha aterroriza Guarapuava em tentativa de assalto


Em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (18), o secretário e o comandante-geral da PM tentaram tranquilizar a população de Guarapuava. Nas redes sociais, circularam vídeos com imagens da ação dos bandidos e muitos comentários relatando a desvantagem do arsenal da polícia em relação ao utilizado pelos criminosos e o despreparo do efetivo policial. 


Além de armamento de uso exclusivo das Forças Armadas, capaz de derrubar aviões e helicópteros, o bando estava munido de explosivos.

Continua depois da publicidade


Marinho afirmou que não houve falhas na ação da polícia e que a corporação estava preparada para combater este tipo de crime porque o serviço de inteligência já havia identificado a possibilidade de uma ação como essa em Guarapuava. 


“A gente está sempre preparado. A gente sabe que esse pessoal circula, que tem as quadrilhas fortemente armadas. Tanto é verdade que não lograram êxito, não conseguiram chegar à empresa para pegar o dinheiro. A missão não pegou a gente de surpresa”, declarou o secretário.


“O nosso trabalho de inteligência diz respeito ao fluxo de dinheiro no Estado. Esse pessoal sabe disso e a gente tem um trabalho de tentar que não cheguem até esses locais. O 16º Batalhão tinha um plano de contingenciamento para evitar que isso acontecesse. A gente não sabia quando iriam atuar, mas sabia que poderia acontecer. Tão logo começamos a perceber um movimento estranho na cidade (na noite de domingo), vimos que tínhamos que atuar rápido. O pessoal de Curitiba veio rapidamente para cá”, explicou o comandante-geral da PM. Veículos blindados do Exército circularam pelas ruas de Guarapuava na noite de domingo.


Continue lendo na Folha de Londrina.

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade