Pesquisar

Canais

Serviços

Operação Sandes

Polícia Civil prende três suspeitos por roubos à Copel e empresas de construção civil em Londrina

- SESP/ PR
08 jun 2022 às 10:39
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

A Polícia Civil cumpriu na manhã desta quarta-feira (8) três mandados de prisão preventiva e 13 mandados de busca e apreensão em Londrina em mais uma fase da Operação Sandes, que investiga há sete meses roubos de cobre e outros materiais elétricos no município.

Continua depois da publicidade


Os três detidos têm idades entre 27 e 42 anos. Todos têm passagens policiais por crimes graves como roubos, porte de arma, tráfico de drogas e tentativa de homicídios, são de alta periculosidade e, inclusive, dois deles são monitorados pelo sistema prisional por meio de tornozeleira eletrônica.

Nas buscas realizadas nesta terça foram apreendidos veículos e outros objetos relacionados às práticas criminosas investigadas.


Os bens subtraídos das empresas ultrapassam R$ 1 milhão, informa a Polícia Civil.


As ações dos suspeitos


O primeiro roubo aconteceu em novembro de 2021, quando homens fortemente armados roubaram uma empresa do ramo da construção civil e subtraíram bobinas de cobre.

Em fevereiro de 2022, os assaltantes voltaram a agir. Desta vez, no depósito da Copel, quando homens empregaram o mesmo “modus operandi” do roubo praticado em novembro, ou seja, renderam o vigia da empresa estatal e, de lá, também subtraíram bobinas de cobre.

Quarenta e cinco dias depois, os mesmos suspeitos voltaram ao depósito, fortemente armados, renderam a vigilância e permaneceram no local por aproximadamente onze horas. Neste roubo, foram usados três caminhões (um bitrem, um baú e um de carroceria aberta), nos quais foram transportadas bobinas de cobre e os transformadores roubados.

Após isso, a organização criminosa ainda assaltou mais três empresas do ramo da construção civil. Em uma delas, o roubo se consumou e cobre e materiais elétricos foram levados. Em outras duas, no entanto, os crimes não se consumaram devido a fatores alheios à vontade dos assaltantes.

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade