Pesquisar

Canais

Serviços

Antonio Caetano de Paula, presidente da AML, lamentou a não indicação de nomes de médicos que têm "condutas exemplares" - Arquivo Folha de Londrina
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Estranheza

Associação Médica lamenta indicação de Agajan

Loriane Comeli - Redação Bonde
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

O presidente da Associação Médica de Londrina (AML), Antônio Caetano de Paula, disse que pessoalmente lamenta a indicação do médico Agajan Der Bedrossian para a Secretaria de Saúde, anunciada na segunda-feira (20) pelo prefeito eleito Barbosa Neto (PDT). Agajan foi secretário de Saúde do ex-prefeito Antonio Belinati (PP) e responde processos por improbidade administrativa e por tráfico de entorpecentes.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

"Pessoalmente lamento a indicação", afirmou Caetano de Paula em entrevista nesta manhã ao Bonde. "Como presidente da Associação Médica, lamento termos apresentado uma lista com três médicos que têm condutas exemplares junto aos conselhos Federal e Regional de Medicina e às justiças civil e criminal, mas que não foram acatados pelo Barbosa".

Continua depois da publicidade


Da lista mencionada pelo presidente da AML constavam os nomes de Oziel Torresin de Oliveira, diretor do Hospital Evangélico, e Luiz Fernando Rodrigues, da Vila da Saúde, e o atual secretário do governo interino de José Roque Neto, Aparecido Andrade.


Caetano de Paula disse que a lição que ficou do episódio é a dificuldade de se confiar nos políticos. "Não podemos acreditar sem um documento assinado", resumiu. Segundo ele, em 2007 foi a primeira vez que Barbosa procurou a classe médica e garantiu, já naquela ocasião, que o nome do secretário de Saúde seria indicado pela AML. "A garantia foi reiterada em 2008 e, agora, no 'terceiro turno'. Dissemos então que entregaríamos uma lista com três nomes, para que ele pudesse escolher".


Questionado sobre a conduta profissional de Agajan, Caetano de Paula confirmou o processo que ele responde por tráfico de entorpecentes, que se trata da acusação de ter receitado combinação de remédios proibidos pela Agência Nacional de Vigilância com a finalidade de emagrecimento. "Não é uma mera infração: essa combinação pode causar lesões graves à saúde do paciente".

Continua depois da publicidade


O presidente da AML também revelou que Agajan não faz parte de qualquer órgão da classe médica, como a AML ou o Sindicato dos Médicos. "Realmente, esta indicação nos causou estranheza", disse Caetano de Paula, acrescentando que ficou sabendo da nomeação de Agajan pela imprensa.


Matéria relacionada:

Vereadores também criticam nomeação de secretário


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade