Pesquisar

Canais

Serviços

Reprodução/ Twitter
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Polêmica

Cinismo do Moro só não é maior que seu mau-caratismo, diz organizador de jantar de Lula e Alckmin

Camila Mattoso - Folhapress
20 dez 2021 às 17:00
Continua depois da publicidade

Um dos organizadores do jantar que reuniu Lula (PT) e Geraldo Alckmin (sem partido, ex-PSDB) neste domingo (19), o advogado Marco Aurélio Carvalho, coordenador do Prerrogativas, rebateu a declaração irônica de Sergio Moro sobre o evento.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


"Moro está buscando imunidade parlamentar para fugir da cadeia, para onde ele deveria ter sido mandado quando, a pretexto de combater a corrupção, corrompeu o sistema de Justiça. É um juiz criminoso e parcial. E o cinismo dele só não é maior que o mau-caratismo", disse Carvalho à reportagem.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


O ex-ministro de Jair Bolsonaro e pré-candidato do Podemos à Presidência da República em 2022 perguntou em suas redes sociais "impressão minha ou ontem assistimos a um jantar comemorativo da impunidade da grande corrupção?"


O jantar contou com cerca de 500 convidados no restaurante A Figueira Rubaiyat, em São Paulo.
Foi a primeira aparição em público de Lula e Alckmin em meio a articulações para que o ex-tucano seja vice do petista na disputa para o Planalto nas eleições de 2022.


Representantes de diversos partidos foram na festa. Rodrigo Maia, Gilberto Kassab (PSD), Baleia Rossi (MDB-SP), Paulinho da Força (Solidariedade-SP), Orlando Silva (PC do B-SP), Carlos Siqueira (PSB), Márcio França (PSB), Marcelo Freixo (PSB-RJ), Fernando Haddad (PT), Gleisi Hoffmann (PT-SP), Omar Aziz (PSD-AM), Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Arthur Virgílio (PSDB) e Renan Calheiros (MDB-AL) estavam entre os presentes.

Continua depois da publicidade


Antes do evento, Marco Aurélio Carvalho havia dito que Moro e João Doria (PSDB-SP) eram os únicos considerados "personas non grata" pelo grupo.

Continue lendo