Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Secretaria de Defesa Social

Guarda Municipal de Londrina depende do aval da Câmara para comprar sede própria

Pedro Marconi - Grupo Folha
18 jun 2024 às 09:30
- Roberto Custódio
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A secretaria municipal de Defesa Social encontrou um local para receber a sede da pasta e também da GM (Guarda Municipal) de Londrina, que atualmente tem a estrutura dividida em vários endereços. O lugar escolhido é um imóvel na rua Tietê, na região central de Londrina, perto da PF (Polícia Federal) e do Corpo de Bombeiros. 


O espaço tem área construída de mais de três mil metros quadrados, com terreno livre de mais de seis mil metros quadrados, além de outras duas áreas menores que medem 468 metros quadrados cada.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Mas para que o local passe para o domínio do município é necessário o aval da Câmara de Vereadores, com aprovação em plenário. O projeto de lei que trata do assunto foi protocolado pela prefeitura em 22 de maio. 

Leia mais:

Imagem de destaque
Tentativa de homicídio

Lula diz que violência é abominável, mas Trump vai tentar tirar proveito de atentado

Imagem de destaque
Transparência

Tribunal de Justiça rejeita pedido para omitir gratificações pagas a juízes do Paraná

Imagem de destaque
Redes sociais

Lula diz que big techs lucram com disseminação do ódio e que vai retomar debate sobre regulação

Imagem de destaque
Entenda

Alta de tributo para compensar desoneração continua na mesa, diz Padilha após resistência do Senado


O documento destaca que após um chamamento público em busca de uma localidade não apresentar interessados, em 2019, o poder público londrinense iniciou a procura, chegando até este prédio.

Publicidade


A negociação com o proprietário do espaço envolve a transferência de dois terrenos do município na Gleba Palhano, zona sul, e mais o retorno em dinheiro para a empresa de R$ 1 milhão. Os valores foram definidos após verificação da Comissão Permanente de Avaliação de Imóveis e Preços Públicos. 


As áreas da prefeitura, que não têm construções, valem cerca de R$ 13,2 milhões, enquanto que o terreno na rua Tietê tem preço estimado em R$ 14,3 milhões.

Publicidade


O projeto pede a autorização dos parlamentares para desafetar do uso comum as áreas de propriedade do município e permutá-las pelo imóvel hoje particular. 


"Os imóveis de interesse indicados no projeto de lei, já visitados por diversas autoridades da gestão municipal, satisfaz plenamente as necessidades pretendidas pela secretaria municipal de Defesa Social, oferecendo excelente localização, com acesso fácil, ótimas condições de trabalhos para as equipes e, consequentemente, para o atendimento da população”, argumenta o Executivo.


Leia a reportagem completa na FOLHA DE LONDRINA:


Imagem
GM de Londrina depende do aval da Câmara para comprar sede própria
Londrina negocia imóvel para centralizar Defesa Social e Guarda Municipal, visando melhorar condições de trabalho e atendimento à população.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade