Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Revisor da ação

Lewandowski libera mensalão para julgamento no STF

Agência Brasil
26 jun 2012 às 15:43
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O ministro Ricardo Lewandowski liberou hoje (26) o processo do mensalão para julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF). Lewandowski, revisor da ação penal sobre o suposto esquema de compra de votos de parlamentares denunciado em 2005, confirmou o fato ao chegar à sessão da Segunda Turma do STF.

"É o voto revisor mais curto da história do Supremo Tribunal Federal. A média para um réu é de seis meses. Fiz das tripas coração para respeitar o estabelecido pela Suprema Corte", disse o ministro.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Como revisor da ação penal do mensalão, Lewandowski tem papel complementar ao trabalho do relator Joaquim Barbosa, fazendo observações e correções, se considerar necessário. O revisor também é responsável por liberar a ação penal para ser incluída na pauta de julgamento.

Leia mais:

Imagem de destaque
Eleições municipais

Recesso parlamentar da Alep é adiado e será entre setembro e outubro

Imagem de destaque
Eleições 2024

TSE e plataformas se aproximam do período eleitoral sem assinar acordos

Imagem de destaque
Nova entrevista

Milei disse muita bobagem e só vou falar com ele após desculpas, diz Lula

Imagem de destaque
Galerias lotadas

Em primeira discussão, vereadores aprovam aumento salarial da Guarda Municipal de Londrina


No início de junho, os ministros decidiram em sessão administrativa que o julgamento da ação penal começaria no dia 1º de agosto. No entanto, a data pode não ser respeitada porque Lewandowski entregou o voto um dia depois do prazo possível para cumprir burocracias do processo, como publicação em diário oficial e convocação de advogados.

Publicidade


O julgamento só começará, efetivamente, no dia 1º de agosto se o presidente do STF, Carlos Ayres Britto, decidir publicar uma edição extraordinária do Diário de Justiça Eletrônico nesta terça-feira (26). A assessoria do ministro disse que ele ainda não decidiu como procederá sobre o assunto.


Na última quinta-feita (21), Ayres Britto, encaminhou ofício a Lewandowski alertando que era imperativo liberar até ontem (25) os processos que serão julgados pelo plenário do STF no início de agosto. Britto não fez referência ao mensalão, mas encaminhou o documento apenas a Lewandowski. Há especial apreensão sobre prazos porque o ministro Cezar Peluso vai se aposentar compulsoriamente no final de agosto.

Em resposta encaminhada a Britto ontem à noite, Lewandowski se disse "surpreso" com o ofício e argumentou que a palavra final sobre o cronograma é do plenário do STF. "O egrégio plenário, integrado por experimentados juízes, detém a última palavra no que concerne à interpretação e ao alcance das normas regimentais".


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade