Pesquisar

Canais

Serviços

Divulgação
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Eleições 2022

Lula vê Brasil encalacrado e cobra aliados na trincheira de sua campanha em 2022

Tayguara Ribeiro - Folhapress
08 dez 2021 às 16:41
Continua depois da publicidade
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse nesta quarta-feira (8) que a situação do Brasil está "encalacrada", ao citar dados sociais e da economia. Ele falou em "podridão" no país, atacou as elites e se colocou como pré-candidato com "disposição".


O petista disse que não poderá voltar ao Planalto para fazer menos do que fez em suas primeiras gestões (2003-2006 e 2007-2010), sem citar os dois mandatos da ex-presidente Dilma Rousseff (2011-2014 e 2015-2016).

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Lula participou de um congresso organizado pela Força Sindical, em São Paulo. Em seu discurso, pediu aos sindicalistas que estejam na trincheira da campanha eleitoral de 2022 e em um eventual novo mandato seu na Presidência da República a partir de 2023.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


Na mesma fala, sempre de improviso, o petista cobrou seus aliados a disputarem as eleições no ano que vem. Segundo ele, se os trabalhadores não entrarem em campanha, os empresários é que serão eleitos para o Congresso Nacional.


No mesmo discurso aos sindicalistas, o petista atacou o ministro Paulo Guedes (Economia), criticou a reforma trabalhista em discussão no Congresso com apoio do governo federal e cobrou um Estado forte que possa proporcionar benefícios à população e à classe trabalhadora.


​Lula também criticou o presidente Jair Bolsonaro (PL) pela recusa ao passaporte da vacinação.

Um dia antes, o governo decidiu exigir uma quarentena de cinco dias de viajantes não vacinados que entrarem no Brasil. Pela nova regra, quem apresentar o certificado de imunização contra a Covid e teste negativo poderá cruzar a fronteira sem passar pelo período de isolamento.


A mudança contraria o discurso negacionista de Bolsonaro. Hora antes, em evento no Palácio do Planalto, o presidente comparou o passaporte da vacina a uma coleira.

Continue lendo