Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
'É um dia muito importante pra mim'

Lula vota em São Bernardo do Campo e faz apelo pela paz

Daniel Mello - Agência Brasil
02 out 2022 às 11:20
- Rovena Rosa/Agência Brasil
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, votou às 9h05 na manhã deste domingo (2), na Escola Estadual João Firmino de Araújo em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. Após comparecer à urna, Lula fez um apelo pela paz. “Queremos um país que viva em paz, com esperança. E que possa produzir e construir seu próprio futuro a partir da participação da sociedade brasileira”, disse à imprensa.


Lula relembrou ainda o período em que esteve preso, entre abril de 2018 e novembro de 2019, após ser condenado por corrupção. Condenações que foram, mais tarde, anuladas pelo Supremo Tribunal Federal (STF). “É um dia mais do que importante para mim. Eu não poderia deixar de dizer para vocês que há quatro anos atrás eu não pude votar porque tinha sido vítima de uma mentira nesse país e estava detido na Polícia Federal exatamente no dia da eleição”, lembrou.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


 “Quatro anos depois, eu estou aqui votando com reconhecimento da minha total liberdade e com a possibilidade de voltar a ser presidente da República desse país para tentar fazer o país voltar a normalidade, voltar a cuidar do seu povo a ter emprego, salário, educação, saúde e respeito com cada ser humano", acrescentou.

Leia mais:

Imagem de destaque
JULGAMENTO

Moraes vota para condenar mais 15 pelos atos golpistas de 8/1

Imagem de destaque
"Câmara é um poder independente"

Belinati evita polêmica e deve sancionar projetos de salários e mais comissionados na Câmara

Imagem de destaque
30,2 mil palestinos mortos

Brasil diz que governo de Israel 'não tem qualquer limite ético ou legal' em Gaza

Imagem de destaque
Ano de 2023

Prefeitura e Câmara de Londrina prestam contas sobre receitas e gastos


Lula também fez com comentário sobre a relação que pretende estabelecer com os deputados e senadores, caso volte ao Palácio do Planalto. “Queremos um Congresso que funcione como Congresso: que cobre, que aprove as leis, que discuta com o governo, que faça o orçamento. Mas que o governo execute o orçamento”, disse.


Sobre os governos da América Latina, o candidato disse que, se eleito, vai manter boas relações, independente das bandeiras ideológicas de cada presidente.

Publicidade

Últimas notícias

Publicidade