27/02/21
PUBLICIDADE
Análise

Número de policiais e militares candidatos é o maior em 16 anos

José Cruz - Agência Brasil
José Cruz - Agência <a href='/tags/brasil/' rel='noreferrer' target='_blank'>Brasil</a>


Na primeira eleição após a chegada de Jair Bolsonaro (sem partido) ao Planalto em meio a uma onda conservadora, o número de policiais e militares que concorrem ao cargo de prefeito atingiu o maior patamar em 16 anos.


Dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) mostram que, neste ano, 371 bombeiros militares, policiais militares e civis e militares reformados tentam uma vaga nos Executivos municipais em todo o país. Em 2004, eram 143 (aumento de 61%); há quatro anos, 178 (aumento de 52%).

Policiais militares são quase metade do grupo (193). Um dos exemplos é a delegada Geolize Telles (DEM), que concorre em Aracaju. Ela escolheu o coronel da PM Péricles Menezes para ser vice. Ao menos cinco chapas nas capitais serão formadas só por profissionais da segurança.
Os militares reformados, como Bolsonaro, são o segundo maior bloco do conjunto (99).

O PSL, partido pelo qual o presidente se elegeu em 2018, lançou o maior número de postulantes policiais ou militares, 54. Em seguida, aparecem Patriota (25), PL (23) e Podemos e PP (ambos com 22). As legendas de esquerda apostam menos neles: PDT tem 13; PT, 12 e PSB, 9.

Entre os estados, São Paulo é o que tem mais concorrentes com essa formação, 59. Minas Gerais (49), Paraná (23), Bahia (22) e Goiás (21) completam o topo da lista.

Na comparação com outros estados, o Ceará fica para trás, com 15 candidatos a prefeito. Mas é de lá que vem um dos nomes de mais destaque na ascensão desse perfil no mundo da política.

Deputado federal mais bem votado do estado em 2018, o policial militar Capitão Wagner (PROS) concorre à Prefeitura de Fortaleza pela segunda vez como principal nome de oposição ao grupo do governador Camilo Santana (PT) e dos irmãos Ciro e Cid Gomes (PDT). Com ascensão meteórica após liderar o motim da PM em 2011, ele tem a segurança pública como prioridade.

Já entre os candidatos a vereador, o aumento foi menos expressivo. Neste ano, são 5.810 postulantes desse perfil, contra 5.488 em 2016, crescimento de pouco menos de 6%.

De novo, o PSL é o líder (511), seguido por Republicanos (382), PSD (380), MDB (360) e PP (348). O ex-partido de Bolsonaro é dono da segunda maior fatia do fundo eleitoral, usado para bancar as campanhas, com R$ 199 milhões.
Bruno Lee e Guilherme Garcia - Folhapress
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Luto em Londrina

Radialista Miltinho Landin morre no último dia de quarentena por Covid-19

27 FEV 2021 às 14h02
Obituário

Falecimentos dos dias 25 e 26 de fevereiro de 2021 em Londrina e região

27 FEV 2021 às 12h38
Decreto estadual

Londrina e cidades da região metropolitana vão seguir lockdown na íntegra

26 FEV 2021 às 18h11
Decreto Estadual

Arapongas suspende atividades não essenciais a partir de sábado

26 FEV 2021 às 16h59
Nova quarentena

Com aumento de casos, Maringá segue medidas anunciadas pelo Governo do Paraná

26 FEV 2021 às 16h43
Críticas

'Sou imbrochável', diz Bolsonaro ao alegar que sofre ataques 24 horas por dia

26 FEV 2021 às 16h28
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados