Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Custo de R$ 18 milhões em 2024

Prefeitura de Londrina quer retirar recursos da saúde para custear aumento salarial da Guarda Municipal

Douglas Kuspiosz - Especial para a Folha
21 jun 2024 às 09:15
- Roberto Custódio/Arquivo Folha
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A Prefeitura de Londrina enviou para a CML (Câmara Municipal de Londrina) novas estimativas de impacto orçamentário-financeiro dos PLs (Projetos de Lei) 111 e 112/2024, que aumentam o salário dos guardas municipais e garantem avanço de 34 níveis na carreira dos agentes. 


A previsão é que devem ser retirados recursos da Secretaria de Saúde para custear a elevação salarial da categoria. Em 2024, o custo é de R$ 1,3 milhão; para o ano que vem, chega a R$ 18,4 milhões.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Segundo os documentos protocolados nesta quinta-feira (20), os recursos a serem retirados são previstos para despesa com contratos terceirizados da Saúde. A Prefeitura aponta que a Emenda Constitucional 29/2000 estabelece que o município aplique no mínimo 15% da arrecadação na Saúde e, hoje, Londrina projeta quase 25% para a área. 

Leia mais:

Imagem de destaque
Aumento do limite

Campanha para prefeito terá teto de R$ 2,3 milhões em Londrina

Imagem de destaque
Jogo virou?

Relembre frases de J.D. Vance, hoje vice de Trump, contra o ex-presidente

Imagem de destaque
Entenda

Paraná: Projeto quer reajustar em 8,03% salário dos servidores estaduais

Imagem de destaque
Em campanha

Biden está com Covid, diz Casa Branca; presidente dos EUA tem sintomas leves


“Este cancelamento não compromete o percentual estabelecido nem tampouco os serviços prestados para a população”, defende o Executivo.

Publicidade


Na estimativa anterior, enviada na terça (18), a Prefeitura citava que o custeio da nova despesa viria através da economia gerada pela PEC 66/2023 aos cofres públicos, mas o texto que limita a 1% da RCL (Receita Corrente Líquida) o pagamento de precatórios ainda está tramitando.


O vereador Eduardo Tominaga (PP), líder do governo na Câmara, afirma que “nenhuma secretaria gostaria de ter o seu recurso retirado”, mas lembra que se trata de uma previsão de gasto da pasta municipal. Ele cita que a contratação de terceirizados pode ser realocada dentro da própria Saúde, além de haver um chamamento de médicos através do concurso realizado pela Prefeitura.


“Obviamente nenhum vereador quer isso, mas eu tenho certeza absoluta que, com muita responsabilidade, eles fizeram essa alteração baseado em uma questão de possibilidade sem prejuízo para a Saúde. Temos que analisar e acredito que na segunda-feira (24), na Comissão de Finanças, vamos conseguir tirar nossas conclusões”, diz o vereador.


Leia a reportagem completa na FOLHA DE LONDRINA:


Imagem
Prefeitura quer retirar recursos da saúde para custear aumento salarial da GM
A informação consta na nova estimativa de impacto orçamentário-financeiro dos PLs 111 e 112. Em 2025, despesa é de R$ 18,4 milhões
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade