Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade

Sessão reinicia, mas é novamente interrompida

Redação - Folha do Paraná
15 ago 2001 às 04:43
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Depois de uma hora e meia de sessão suspensa, o presidente da mesa diretora da Assembléia Legislativa do Paraná, Hermas Brandão (PTB) voltou à sua cadeira, reiniciou a sessão e anunciou que indeferia a questão de ordem levantada pelo deputado Algaci Túlio (PTB). Tulio havia pedido a nulidade do procedimento de votação do projeto de iniciativa popular. Ao mesmo tempo, Brandão indicou Túlio como sendo o deputado encarregado de fazer a defesa do projeto popular.

Ao anunciar a decisão, Brandão pretendia iniciar a votação, mas foi novamente interrompido. Primeiro por Algaci Tulio, que pediu que a partir daquele momento todo a tramitação do processo fosse registrado em livro especial para que fosse possível medidas judiciais contra esta tramitação. Em seguida, o deputado Caíto Quintana (PMDB), corregedor da Assembléia, também avisou que o procedimento de votação do projeto popular seria questionado na Justiça.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


O deputado Irineu Colombo (PT) também pediu a palavra e explicou que o primeiro signatário do projeto, o ex-deputado Nelton Friedrich é que deveria defender o projeto popular. Mas ele não poderia saber quando deveria fazer isso pois não foi oficialmente notificado. Assim, ele gostaria de ser o defensor do projeto, que o próprio Nelton Friedrich o indicasse, mas a mesa havia indicado Tulio e com isso havia um novo impasse.

Leia mais:

Imagem de destaque
Saiba mais

Justiça libera imóveis e carros de Palocci bloqueados na Lava Jato

Imagem de destaque
Abril de 2025

Lula adia pela 3ª vez retomada de exigência de visto para EUA, Canadá e Austrália

Imagem de destaque
Nova proposta

Câmara enterra PL das Fake News e rediscutirá texto do zero após caso Musk

Imagem de destaque
Vai voltar

Câmara aprova projeto que recria DPVAT


Hermas Brandão perguntou a Tulio se ele cederia a defesa para Colombo e Tulio pediu nova interrupção de 10 minutos para decidir. Depois de mais de 50 minutos de interrupção, às 05h20, a sessão não havia se reiniciado.

Os deputados contra a privatização da Copel pretendem ganhar tempo para a votação do projeto popular. Com a postergação, eles tentariam encontrar o deputado tucano Sérgio Spada, único ausente da votação e que era contado como voto contra a privatização. A contagem sem Spada estava praticamente definida em 27 favoráveis à privatização e 25 contrários a ela.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade