26/11/20
PUBLICIDADE
Fique atento!

Fumar e beber em excesso aumenta o risco de câncer de garganta

Reprodução/Pixabay
Reprodução/Pixabay


No início de outubro, o mundo lamentou a morte do guitarrista Eddie Van Halen, devido ao câncer de laringe, comumente chamada de garganta. A doença deve ser diagnosticada em 7.650 pessoas no Brasil em 2020, segundo o Inca (Instituto Nacional de Câncer), e tem uma taxa de mortalidade alta devido ao diagnóstico tardio.


Em 2018, ano mais recente do balanço do Inca, a doença matou 4.455 brasileiros, sendo 3.859 (86,6%) homens –é o 10º câncer que mais mata a população masculina. Segundo o médico Augusto Mota, oncologista da SBOC (Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica) e coordenador do Comitê de Tumores de Cabeça e Pescoço, isso se dá porque os fatores de risco estão mais associados ao comportamento masculino.

Os principais causadores do câncer de laringe são hábitos de vida não saudáveis, como fumar e beber em excesso, com risco potencializado quando ambos estão associados. Há, em menor número, registro de casos em decorrência de refluxo persistente –quando o ácido estomacal volta pelo tubo digestivo e irrita a garganta– e de infecção pelo HPV.

Uma parte expressiva dessas pessoas só é diagnosticada em estágios avançados, quando a chance de sobrevida pode ser menor do que 10%.
"É um indivíduo que, por esse perfil [tabagismo e alcoolismo], tende a ter menos cuidado com a própria saúde", afirma Mota.

Quando chegam ao consultório, os pacientes já estão com a doença num estágio "localmente avançado", afetando gânglios laterais ou outros órgãos do pescoço, comprimindo vasos sanguíneos e cartilagens.

O tratamento varia conforme o caso, mas pode incluir cirurgia, radioterapia e quimioterapia. Sem diagnóstico precoce, a alternativa de tratamento se restringe a cuidados paliativos.

Os principais fatores a observar devem levar em conta o tempo de permanência. Ferida, rouquidão e dificuldade de engolir por dor ou sensação de garganta obstruída que perdurem por 21 dias devem ser analisadas por um profissional, que pode ser um otorrinolaringologista, um dentista ou um cirurgião de cabeça e pescoço. Também é importante estar atento ao aparecimento de caroços ou assimetrias no pescoço.

Mota afirma que, para o câncer de laringe, não há evidências da efetividade de exames de rastreamento, que são feitos em indivíduos saudáveis e sem sintomas. "O mais importante é não fumar e beber, e valorizar os sintomas de alerta."
Folhapress
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Planeje-se!

Muito além de Florianópolis: três destinos catarinenses encantadores para conhecer pós-pandemia

26 NOV 2020 às 12h01
Fique atento!

Saiba a importância da ciência e do combate às fake news sobre vacinação

26 NOV 2020 às 11h19
IBGE

Expectativa de vida do brasileiro sobe para 76,6 anos, sem pandemia de Covid-19

26 NOV 2020 às 10h50
Entenda

Mídia é essencial no combate à violência contra mulher

26 NOV 2020 às 10h01
Durante a pandemia

Numape avalia violência contra a mulher em Londrina

26 NOV 2020 às 09h34
Consumo consciente

Marcas independentes promovem movimento anti-Black Friday

26 NOV 2020 às 09h01
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados