Pesquisar

Canais

Serviços

- Divulgação
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Saiba mais

Gases: quais alimentos evitar e o que inserir em sua alimentação

Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
13 abr 2022 às 11:25
Continua depois da publicidade

Gases intestinais podem causar grande desconforto e, em determinadas situações, constrangimento social. Eles são absolutamente normais, o problema está no excesso. A nutricionista Juliana Vieira explica que os gases acontecem por causa de bactérias que vivem no nosso trato digestivo e participam do processo de digestão.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Continua depois da publicidade

"O excesso de gases pode acontecer como consequência do uso de antibióticos, ingestão de bebidas gaseificadas, comer muito rapidamente, intolerância a lactose, ingestão de ar quando se come de forma muito rápida, doença celíaca, síndrome do intestino irritável, sensibilidade ao glúten e outras alterações intestinais também podem causar distensão abdominal e flatulência em demasia", explica a profissional. 

Alguns alimentos podem ser menos tolerados ou mal digeridos pelo nosso organismo, o que causa a flatulência. A nutricionista listou alguns que provocam gases: "repolho, brócolis, couve-flor, milho, leite; grão de bico, ervilhas, lentilha, batata; feijão, batata doce, iogurte, ovos, farelo de trigo; bebidas com gás, cerveja, cebola e aspargos". 

Continua depois da publicidade

Por outro lado, há alimentos que reduzem o excesso de gases. "Alimentos ricos em fibra, como mamão, aveia, cereais integrais, frutas com casca, legumes e verduras. E, se você sofre com excesso de gases, beba muita água", indica. 

Quem faz exercícios físicos e toma suplementos para aumentar a massa muscular, como Whey Protein, sabe que esses podem provocar excesso de gases.  

"O whey protein possui lactose, outro aspecto que contribui bastante com a produção de flatulência. As proteínas nele contidas também necessitam de mais tempo para digestão e geram gases. Testes e exames podem ser solicitados para avaliar os hábitos e a saúde do trato digestório, mas uma consulta com um nutricionista também pode ser útil para saber como adequar a alimentação em cada fase da vida", finaliza. 

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade