11/05/21
PUBLICIDADE
Dia das Crianças

Brincar na natureza é essencial para o desenvolvimento infantil

Incentivar o contato com a natureza desde cedo é essencial para o melhor desenvolvimento das crianças. Pesquisas mostram que a falta de oportunidades de brincar e aprender junto aos ambientes naturais está relacionada a problemas como obesidade, baixo rendimento escolar, miopia, baixa autoestima e falta de equilíbrio e habilidade física.

De acordo com um estudo da University College London, com alunos da rede primária, 79% das crianças que participaram de experimento ao ar livre relataram sentirem-se mais confiantes nelas mesmas. Além disso, cerca de 80% concordaram que o contato com a natureza os ajudava a ter uma relação melhor com professores e colegas.


"A pandemia do coronavírus impôs um nível de isolamento social nunca antes visto, afastando as pessoas da natureza. É essencial que essa conexão seja retomada, fortalecida e, no caso das crianças, estimulada desde cedo, por meio de atividades e brincadeiras”, explica a coordenadora de Comunicação e Engajamento da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, Melissa Barbosa, reforçando a importância dessa conexão para que meninos e meninas também valorizem a natureza e compreendam a importância de protegê-la.

Em 2019, o Instituto Alana e a Sociedade Brasileira de Pediatria lançaram um manual com dicas de atividades para crianças, adolescentes, famílias, educadores e pediatras. "Apesar de o bom senso e a experiência na clínica pediátrica reconhecerem os benefícios que a criança e o adolescente obtêm através do brincar e das atividades de lazer e aprendizado ao ar livre, em contato com a natureza, o fato é que em contextos urbanos eles têm cada dia menos oportunidades de usufruir desse direito universal”, alerta a publicação, coordenada pela membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza (RECN) e coordenadora do programa Criança e Natureza do Instituto Alana, Laís Fleury.

Entre as ações recomendadas pelo manual estão: estimular as crianças a explorar e conhecer seus bairros, fazer fora de casa as atividades que se costuma fazer dentro, organizar encontros e festas ao ar livre, cultivar plantas e hortas, dar preferências a destinos naturais durante as férias escolares e oferecer livros e revistas sobre natureza às crianças e adolescentes. "Os livros podem inspirar o amor e a curiosidade pela vida lá fora, ao ar livre. Exemplo: guias de campo sobre as aves e plantas, livros sobre aventuras na natureza e sobre sua beleza inspiradora”, diz a publicação.

"A literatura e demais manifestações artísticas também fazem parte do processo de construção de uma cultura voltada para o cuidado com a natureza e a biodiversidade”, diz Melissa. Ela destaca como exemplo a coleção "Meu Ambiente”, lançada digitalmente neste ano pela Fundação Grupo Boticário. Contendo nove livros paradidáticos – do primeiro ao último ano do ensino fundamental – e com referencial teórico, a coleção ajuda professores e alunos a trabalharem assuntos de maneira transversal com outras disciplinas.
Redação Bonde com assessoria
PUBLICIDADE
Continue lendo
Comemoração!

UEM completa 45 anos com mais de 75 mil profissionais formados

11 MAI 2021 às 11h13
Saiba mais

Projeto de professores usa inteligência artificial e relógio contra depressão

11 MAI 2021 às 08h20
Conheça as Obras do Jardim

Museu de Arte de Londrina comemora aniversário com exposição virtual

10 MAI 2021 às 17h35
Veja os depoimentos!

Pesquisa aponta que 79% de mulheres que atuam na música são discriminadas

10 MAI 2021 às 17h21
É até quinta!

Prouni: começa entrega de documentos para bolsas remanescentes

10 MAI 2021 às 16h38
Cuide-se na pandemia!

Professora da UEL orienta sobre hábitos e alimentos que melhoram a imunidade

10 MAI 2021 às 16h25
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados