15/11/19
32º/19ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Publieditorial

Professores do Maxi recebem prêmio por meio da Nuvem Mestra, parceira do Google For Education

Divulgação
Divulgação


Sabendo que a educação não se restringe à sala de aula, o Colégio Maxi tem buscado soluções para ampliar o ensino com novas ferramentas e estímulos. A plataforma Google por Education foi implantada no colégio há 2 anos e tem se transformado em cases de sucesso na área. O objetivo do uso dessas ferramentas tecnológicas disponibilizadas pelo Google é buscar novas e modernas soluções didáticas, metodológicas e tecnológicas para instituições de educação básica e também ensino superior.


A plataforma é uma das mais utilizadas no mundo, são 80 milhões de professores e alunos com a G Suite for Education, e 30 milhões destes usam o Google Sala de Aula. O Chromebook, na área de educação, é líder com 60% do mercado nos EUA, além da presença na Suécia e Canadá. No Maxi, o uso do Google Sala de aula chega a 85%, além dos investimentos no parque tecnológico, na aquisição de chromebooks e em ambientes colaborativos em suas unidades, como as Salas Google. A experiência com a plataforma mostrou ao colégio um engajamento ainda maior entre professores e alunos. O acesso ao conteúdo pedagógico é muito mais fácil, fica armazenado na nuvem e é acessível em qualquer dispositivo. O Google for Education é um braço para a área da educação da maior empresa de tecnologia do mundo.

Divulgação
Divulgação - Aula de Redação do Ensino Médio - Sala Google
Aula de Redação do Ensino Médio - Sala Google


E deu certo. As aulas de História mostram um exemplo do bom resultado. O professor do Ensino Fundamental 2, Tiago Ledesma Mariano, percebeu que poderia ampliar o tempo de contato com os alunos e também expandir o ensino da sala de aula, utilizando ferramentas do Google for Education. O objetivo do trabalho era levar os alunos de forma personalizada a encontrar suas dificuldades na disciplina e, por meio do estímulo correto, conseguir superá-las. O principal resultado foi o atendimento das necessidades individuais, pois cada aluno aprende de uma maneira diferente, seja por texto, vídeo ou outras atividades.

"Uma das principais dificuldades enfrentadas pelo docente, em sala de aula, é ofertar uma variedade de estímulos, para que cada um dos alunos que compõem a turma possa aprender de forma significativa. Por meio dos princípios da Metodologia Ativa e da tecnologia ofertada pelo Google For Education, especificamente o GoogleForms, foi possível criar uma plataforma adaptativa e apresentar diversos estímulos, para que cada um dos alunos pudesse encontrar o melhor caminho para se preparar para as avaliações", constata Mariano.

Divulgação
Divulgação - Professor Fernando, Professor Tiago e Professora Camila - vencedores do <a href='/tags/concurso/' target='_blank'>concurso</a> 'Boas Práticas', do Google for Education
Professor Fernando, Professor Tiago e Professora Camila - vencedores do concurso "Boas Práticas", do Google for Education


Sofia Mateus Marçal Perini, de 14 anos, participou dessa turma e afirma: "Conseguimos mais profundidade nos conteúdos, de forma mais eficaz ao compreender o assunto, e esse projeto uniu a turma." Ela ainda aumentou a nota de 85 para 96. "É bem significativo".

O resultado foi o ganho de desempenho dos alunos. Segundo o professor Mariano, hoje as provas são mais difíceis, e eles conseguiram um ganho de 30% no desempenho. Com os resultados, o engajamento dos alunos foi natural e vem aumentando.

Havia alguma resistência de pais na utilização dessas ferramentas, ou no uso do celular para estudos, mas agora eles chegam a procurar a Coordenação da escola para testemunhar que eram inicialmente contrários, mas que acabaram convencidos da eficácia do programa Google For Education e do uso de tecnologias alternativas no processo educacional.

Divulgação
Divulgação - Alunos utilizando óculos de Realidade Virtual na Sala Google
Alunos utilizando óculos de Realidade Virtual na Sala Google


Adriana Mateus Marçal Perini, mãe de Sofia, não conseguia, no começo do projeto, entender o propósito. No entanto, com a evolução do trabalho e as experiências da filha compartilhadas em casa, como aulas de Arte em 3D, situações mais lúdicas da disciplina de História, ela foi assimilando o processo. "Não é resistência à tecnologia, é não entender exatamente aonde vai chegar, mas, com os objetivos mais claros e a empolgação dos filhos em casa, vemos um excelente resultado".

Mariano se diz um grande entusiasta da tecnologia na educação. E foi na confiança com o resultado do trabalho que ele venceu a disputa pelo prêmio no concurso "Boas Práticas" do Google for Education, um concurso a nível nacional, que teve, neste ano, apenas um representante selecionado no Paraná, o Colégio Maxi, que concorreu com dois projetos e teve ambos selecionados para a final. Nessa final de cases de sucesso, também estavam na concorrência colégios do Rio de Janeiro e de São Paulo.

Divulgação
Divulgação - Aula com uso de Chromebooks
Aula com uso de Chromebooks


O outro projeto que recebeu menção honrosa no concurso foi o da disciplina de Raciocínio Lógico do 9º ano do Ensino Fundamental. Os professores Fernando Francisco Pereira e Camila Rosolen Dona ensinaram a história do Paradoxo do Barbeiro, do matemático, filósofo e lógico Russell, com o maior número de ferramentas do Google.

Todo o projeto, assim como todas as ferramentas utilizadas no dia a dia das aulas, foi compartilhado no site "Linha de Raciocínio" como forma de divulgar ricas experiências utilizando as diversas ferramentas tecnológicas disponíveis.

Divulgação
Divulgação - Sala Google
Sala Google


Esses resultados foram apresentados no Encontro Nacional de Parceiros Nuvem Mestra & Google for Education, realizado na sede do Google Brasil em São Paulo.
Assessoria de imprensa
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
comentários
Continue lendo
Salários até R$ 13.737

Municípios do Paraná abrem concursos com mais de 175 vagas

Veja mais e a capa do canal