Pesquisar

Canais

Serviços

- Arquivo/2019 UEM
Ensino, pesquisa e extensão

Programa de Educação Tutorial contribui para ampla formação de alunos

08 set 2021 às 17:41
Continua depois da publicidade

A UEM (Universidade Estadual de Maringá) conta atualmente com 15 grupos do PET (Programa de Educação Tutorial) que contemplam cursos de seis dos sete Centros de Ensino existentes na instituição. Com um contingente de 180 alunos bolsistas e cerca de 70 alunos voluntários, além de 15 docentes tutores, os grupos PET desenvolveram, com apoio e acompanhamento da PEN (Pró-Reitoria de Ensino), só durante o ano letivo de 2020, 289 projetos.

Continua depois da publicidade


O programa tem como componente central a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, contribuindo para uma formação integral, o que propicia aos alunos uma compreensão ampla e aprofundada de sua área de formação.

Continua depois da publicidade


Pedro Henrique Paiva Bernardo, do terceiro ano do curso de Enfermagem, é um desses alunos “petianos” que atuam como multiplicadores dos ideais do programa, disseminando novas ideias e práticas entre o conjunto de alunos dos cursos, promovendo interação também com o corpo docente e discente.


“O impacto do PET na nossa formação acadêmica é gigantesco, pois permite uma formação global, que não é voltada apenas para pesquisa, ensino, ou extensão, mas que pensa nisso tudo junto e problematiza a realidade para pensar em novas possibilidades. Para além disso, tem todo o trabalho em grupo e essa interação com os diferentes membros, uma divisão de tarefas, o que estimula novas habilidades”, explica Pedro Bernardo.

Continua depois da publicidade


A assessora especial da Pró-Reitoria de Ensino, Jani Alves da Silva Moreira, diz que os resultados dos trabalhos desenvolvidos pelos grupos PET demonstram que o acadêmico que participa das atividades permanece envolvido no seu curso de graduação de uma forma dinâmica e ativa. “Além de contribuir para ações em conjunto que visam o envolvimento de outros acadêmicos no curso, os petianos atuam de forma pró-ativa em busca de uma formação cada vez mais completa em sua carreira”, explica.


Para isso, os grupos PET da UEM demandam diversas atividades de extensão voltadas para as necessidades da universidade como as semanas acadêmicas, eventos de extensão virtual, palestras, grupos de discussão, cursos e minicursos on-line, jornal das ações dos grupos, publicações conjuntas, reuniões semanais, recepção de calouros, reuniões mensais da Unipet (União dos Programas de Educação Tutorial da UEM), ciclos de estudos, elaboração de trabalhos científicos, cursos de elaboração para a escrita acadêmica, elaboração de pré-projetos de pesquisa, entre outras, sempre buscando o aprimoramento dos cursos de graduação; além do mais, os grupos também desenvolvem atividades extensionistas visando o benefício da sociedade.


Uma destas atividades voltada para a comunidade externa é o projeto de extensão no FEI/UEM (Centro de Visitantes da Fazenda Experimental de Iguatemi) desenvolvida pelos grupos PET Agronomia e Zootecnia. Impossibilitado a visitação à Fazenda devido a pandemia, os alunos adequaram as visitações de forma virtual: fizeram gravações nos setores de produção animal, o que deu origem a um Tour Virtual.


“Antes fazíamos o tour presencial, mas devido à pandemia tivemos que nos adaptar e então, esse material foi divulgado no Núcleo Regional de Educação de Maringá, com foco nos estudantes de ensino fundamental e médio das escolas da região e encontra-se disponível na nossa página do YouTube, para aqueles que queiram conhecer”, explica Leandro Dalcin Castilha, tutor do PET Zootecnia.


Diminuir Evasão - O Study With Me, servidor desenvolvido pelos grupos PET Economia e PET Informática, é uma proposta de ambiente de estudos compartilhados em tempo real e tem por objetivo proporcionar maior foco e produtividade por meio da criação de um senso comunitário de estudos.


“A ideia é fortalecer o foco e, indiretamente, dar amparo motivacional e emocional a quem estuda. Em poucas palavras, é como estar estudando com outras pessoas em um ambiente simulado”, expõe Helwes Herhye, bolsista do PET e desenvolvedor da metodologia.

Continue lendo