Pesquisar

Canais

Serviços

Reprodução/Facebook
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Atriz americana

Assessor conta causa da morte de Betty White e nega relação com vacina

Folhapress
04 jan 2022 às 11:56
Continua depois da publicidade

A atriz Betty White, um dos grandes nomes da TV americana, que faleceu na última sexta-feira (31) teve a causa de sua morte revelada por seu assessor e amigo de longa data, Jeff Witjas. "Betty morreu pacificamente em seu sono, em sua casa", disse.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Em entrevista ao site People, Witjas desmente boatos de que a morte teria qualquer relação com a vacina contra a Covid-19. "As pessoas estão dizendo que seu falecimento estava relacionado ao fato de ela ter tomado a terceira dose três dias antes, mas isso não é verdade", completa.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


"Ela morreu de causas naturais. Sua morte não deveria ser politizada, essa não é a vida que ela viveu", completou o assessor. A artista completaria 100 anos em 17 de janeiro e era considerada a atriz com a carreira mais duradoura da história da TV, com cerca de 80 anos de longevidade.


Ela fez seu primeiro programa em 1939, e foi estrela de diversas produções desde então. Seu papel de maior destaque foi na sitcom "Supergatas" (originalmente "The Golden Girls"), onde interpretou Rose Nylund.


Seus últimos trabalhos foram com dublagem em animações, participando de filmes como "Toy Story 4" e "Encrencão", ambos em 2019. A atriz afastou-se da vida pública durante a pandemia, isolando-se em casa por segurança.

Continua depois da publicidade


Em entrevista ao TMZ, Witjas disse em novembro de 2021 que Betty ocupava seus dias em casa com leituras, televisão e palavras-cruzadas. Ele admitiu, entretanto, que a pandemia a deixou solitária, sem poder ter contato com amigos.


Seu aniversário de 100 anos já estava começando a ser comemorado no país natal. Em 28 de dezembro, ela foi capa da revista People, com a manchete: "Betty White faz 100!". À revista, que lamentou sua morte nesta sexta, Betty havia dito que "tem sorte por ter uma saúde tão boa e se sentir tão bem nesta idade".


A atriz foi adorada nos Estados Unidos por sua personalidade e humor irreverente, que pareciam não ser afetados pela passagem do tempo. Ela seguiu fazendo personagens cômicos em séries modernas como "Community", em 2010, e "Eu, a Patroa e as Crianças", em 2004.


Betty venceu 34 prêmios por sua atuação e apresentação de programas. Destes, seis foram Emmys: o primeiro em 1975, depois em 1976, 1986, como atriz principal em "Supergatas", 1996 e 2010, por sua participação no programa Saturday Night Live, além de entrar para o Hall da Fama.

Continue lendo