Pesquisar

Canais

Serviços

Reprodução/Instagram
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Polêmica

Xuxa se revolta com Mara Maravilha após ela usar termo 'débil mental' em 'Ilariê'

Folhapress
10 nov 2021 às 14:35
Continua depois da publicidade

A apresentadora Xuxa Meneghel, 58, se revoltou com Mara Maravilha, 53, após ela fazer uma paródia da música "Ilariê" no Ratinho (SBT) na segunda-feira (8). Na ocasião, usou o termo "débil mental" para se referir a quem tenha escutado o disco da Rainha dos Baixinhos.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Na atração, Mara pediu permissão a Ratinho para mostrar a sua versão da melodia. "Tá na hora, tá na hora, da lavagem cerebral. Eu ganhei um disco da Xuxa e virei débil mental", cantou ela.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


Na ocasião, tanto o apresentador quanto Sérgio Mallandro defenderam Xuxa e disseram que ela ficaria brava. E foi isso o que aconteceu de fato.


Em comentário numa postagem nas redes sociais, Xuxa disse ter pena de Mara. "Quando eu ouvi isso, me coloquei no lugar de uma pessoa com necessidades especiais. E te juro que fiquei triste. Como uma pessoa que trabalhou para criança fala isso?", começou.


"Por mim, ok. Só me dá mais pena dela. Mas pelas crianças e pessoas com um grau de intelecto que estão 'nessa expressão'. É simplesmente feio", postou Xuxa.

Continua depois da publicidade


Mara pede perdão


Com a repercussão negativa, Mara Maravilha recorreu às suas redes para pedir perdão pelo que ela chamou de erro infeliz. Em grande relato, começou se retratando a todos que tenham se sentido magoados.


"Despropositadamente pronunciei 'débil mental'. Errei, perdão, perdão, perdão. Representar a arte, a comunicação e o imaginário do público é justamente reconhecer que temos grandes responsabilidades ao que propagamos diariamente com bons ou maus exemplos", escreveu.


Mesmo com a dita liberdade de expressão, ela completa, "concordo que fui infeliz na empolgação do entretenimento". Mara reforçou que pessoas com necessidades especiais ainda enfrentam barreiras e obstáculos na vida e que o momento, para ela, é de aprendizado.


"Humildade e resiliência para entender o quão este erro pode trazer de ensinamentos para minha e a nossa jornada. Triste comigo, fui infeliz, antes de ser artista sou um ser humano", encerrou.

Continue lendo