Pesquisar

Canais

Serviços

Pixabay
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
'Meu trabalho é a dança'

Dia Internacional da Dança: a arte que comove e sustenta

Ana Clara Marcondes - estagiária*
29 abr 2021 às 14:08
Continua depois da publicidade

O Dia Internacional da Dança ou Dia Mundial da Dança é comemorado anualmente em 29 de abril. A data tem como objetivo homenagear uma das manifestações artísticas mais antigas. O Dia da Dança foi instituído em 1982 pelo Comitê Internacional da Dança da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura). Foi escolhido o dia 29 de abril em homenagem a data de nascimento de Jean-Georges Noverre, mestre do ballet francês. Diante da variedade de estilos, cada cultura incorpora seus traços e particularidades, usando a dança para diferentes fins.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


O professor de dança Sassá Santana, 33, começou a dançar aos seis anos em um grupo de igreja, do qual faz parte até hoje. O que começou por diversão, tornou-se amor e sustento. "O que me motivou a continuar foi ver que aquilo realmente me fazia muito bem, que a dança fazia bem para a minha alma, para o meu corpo e eu podia, de fato, expressar quem eu realmente era, quem eu realmente sou através da dança. Eu conseguia me libertar quando eu dançava”, relatou.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


Aos 12 anos começou a fazer aulas de dança e aos 18 a dar aulas. Para ele, o maior desafio de trabalhar com dança hoje em dia é a falta de profissionalização da dança, "mesmo hoje já existindo uma faculdade específica de dança, ela sendo bacharel e licenciatura, você não precisa ter um ensino superior para que você trabalhe com dança”.


Outro ponto que ele destacou foi a falta de valorização, tanto por parte dos profissionais de dança quanto por parte daqueles que consomem dança. Segundo ele, é sempre vista como recreação ou algo secundário. "Trabalho com dança há quase 20 anos e ainda tem gente que me pergunta: ‘mas você também trabalha ou você só mexe com a dança?’. Eu falo que meu trabalho é a dança. As pessoas ainda não conseguem ver a dança como um trabalho, apenas como um hobbie”. Seu maior desejo é que as pessoas possam realmente valorizar o profissional que trabalha com dança, investindo e dando o devido valor.


Para Sassá, apesar dos desafios, trabalhar com dança é um dos maiores prazeres da sua vida. Sua maior felicidade é conseguir alcançar as pessoas por meio de aulas e apresentações, assim como sustentar sua família. "Desde um projeto social, passando por crianças, adolescentes até projetos com os idosos, sendo no centro, num condomínio fechado, para a classe A ou para a favela. E prover o sustento para a minha família por meio da dança é uma conquista muito grande”, conta o dançarino.

Continua depois da publicidade


As irmãs Luísa e Joana são sócias de Sassá em um estúdio de dança. Luísa Pereira Jordan, 27 anos, dança há 17 anos, e tem a arte presente em sua vida desde a infância. Joana Pereira Jordan, 24, dança desde os quatro anos de idade. Por influência da irmã e dos pais cresceu em um ambiente cercado de arte. Ambas participaram de competições, workshops e apresentações, até mesmo internacionais.


Luísa tem uma relação íntima com a dança, ela diz que é o seu trabalho e tudo o que ela conseguiu realizar até hoje foi por conta da dança. "Vivo de dança, danço todos os dias e ensino com muito prazer e dedicação essa arte que é dançar. Me sinto muito feliz e realizada em ser uma profissional da dança e poder transmitir isso para outras pessoas. Acredito que a dança tem o poder de transformar a vida das pessoas, pois ela fez isso com a minha”, conta a professora.


Por sua vez, Joana acredita que a dança foi algo que preencheu grande parte de sua vida, em que fez amizades e incentivou seu desenvolvimento social. A professora leva a arte além do sustento em sua vida: "A minha relação com a dança hoje, além de ser de trabalho, de negócio e empresarial, tornou-se fortemente de instrumento de transformação, onde com os meus conhecimentos posso proporcionar para meus alunos a mesma coisa que ela me proporcionou quando comecei a dançar”.


Confira o vídeo de Sassá e Luísa:


*Sob supervisão de Larissa Ayumi Sato.


Continue lendo