Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Confira opinião de epidemiologista

Uma pandemia de fungos como na série "The Last Of Us" seria possível fora da ficção científica?

Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
14 mar 2023 às 17:11
- Divulgação / HBO
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A série The Last of Us, da HBO, chegou ao final de sua primeira temporada, mas continua sendo um dos temas mais discutidos nas redes sociais. Baseada no jogo criado pela Naughty Dog e pela Sony Interactive Entertainment, um vírus mortal se espalha rapidamente pelo mundo e pessoas infectadas se transformam em mortos-vivos. O mundo basicamente está destruído e, como é explicado no começo da série, acredita-se que tudo tenha sido causado por um fungo chamado Cordyceps, que existe na vida real!


Mas então tudo isso realmente vai acontecer? Essa pandemia vai afetar nossas vidas? O que a ciência de hoje diz? Pensando em te responder isso tudo, o cientista de dados e epidemiologista Mauro Cardoso, da healthtech 3778, preparou o material abaixo sobre as mudanças climáticas e como o desmatamento pode facilitar no surgimento de novas epidemias.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Imagem
Anitta está confirmada no elenco da nova temporada de 'Elite' da Netflix
Anitta, 29, que já disse ter vontade de seguir carreira como atriz, é confirmada no elenco da sétima temporada da série espanhola "Elite" (Netflix).


O cenário de The Last of Us é possível? Veja a opinião do epidemiologista 


Segundo o cientista de dados e epidemiologista Mauro Cardoso, da healthtech 3778, as mudanças climáticas e o desmatamento podem facilitar o aparecimento de doenças novas. Para ele, o "aquecimento global pode tanto desfavorecer uma espécie, criando dificuldades para sua sobrevivência, quanto favorecê-la. Em geral, se uma espécie se encontra em um cenário favorável de multiplicação, as mutações são mais comuns e o risco de variantes mais virulentas (capazes de provocar doenças e mortes) aumenta".

Leia mais:

Imagem de destaque
Debate político

Série 'Bom Dia, Verônica' ataca o conservadorismo em sua 3ª e última temporada

Imagem de destaque
Mariangela Hungria

Série sobre mulheres na ciência tem pesquisadora da Embrapa de Londrina

Imagem de destaque
Veja os indicados

'Succession' lidera indicações no SAG, prêmio do sindicato dos atores

Imagem de destaque
Mais um

Prime Video terá exibição de anúncios a partir de janeiro


O Dr. Mauro também acredita que as novas doenças são, geralmente, versões adaptadas ao humano de doenças já conhecidas em outros animais. Exemplos recentes são o Ebola e a varíola dos Macacos.


Tanto na série da HBO quanto no jogo, a principal teoria é a de que o Cordyceps se desenvolveu em alimentos básicos muito consumidos pelos humanos, o que, juntamente com a facilidade de deslocamento que temos atualmente, deixou a contaminação global ainda mais eficaz. Por diversos motivos, a farinha virou um ambiente em que o fungo se proliferou – o que também pode ocorrer na realidade, ainda que com outra espécie.


“Saúde e doença não são processos exclusivamente individuais. A humanidade é parte de uma rede ecológica e os desequilíbrios ambientais afetam a transmissão de doenças, principalmente as infecciosas, criando padrões de ondas chamadas epidêmicas. Do mesmo jeito que uma enfermidade é uma moléstia individual, uma epidemia é um mal coletivo”, finaliza o epidemiologista da 3778.

Publicidade

Últimas notícias

Publicidade