Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Depois de 2 meses

Disney deixa briga com Elon Musk de lado e volta a usar X em transmissões da ESPN

Gabriel Vaquer - Folhapress
18 fev 2024 às 14:31
- Reprodução/ Instagram
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Após dois meses, a ESPN voltou a usar o hashtags do X (ex-Twitter) para interagir com o público em transmissões esportivas. A ordem era da Disney, que estava em briga pública com Elon Musk, dono da rede social.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Leia mais:

Imagem de destaque
É o Brasil do Brasil

Beatriz do BBB faz Ana Maria Braga bater recorde de audiência em 2024

Imagem de destaque
Série B

Clubes paulistas deixam Libra e fecham com Liga Forte União por críticas a contrato com Globo

Imagem de destaque
Perdeu pra Isabelle e Davi

Com 82,61% dos votos, Beatriz é a vigésima eliminada do BBB 24

Imagem de destaque
Em maio

Globo marca início de gravações de reality show comandado por Galvão Bueno

A liberação foi feita na última sexta (16) e as hashtags retornaram em jogos exibidos desde o último sábado (17), como partidas da Premier League, da Inglaterra, e do Campeonato Italiano.

Publicidade


O corte de uso da hashtag do X (ex-Twitter) acontecia desde dezembro, e era um reflexo da briga entre a empresa de Mickey Mouse com o bilionário americano.


Em novembro do ano passado, a Disney suspendeu o pagamento de publicidade para o X. Musk tem sido alvo de polêmicas desde que comprou a rede social, em 2022, por permitir e até incentivar comentários antissemitas no site.

Publicidade


A situação se intensificou quando o bilionário da tecnologia concordou com uma postagem no X que acusava pessoas judias alvo de antissemitismo durante a guerra Israel-Hamas de tentarem "impor contra os brancos a mesma lógica de 'nós contra eles' de que eles reclamam" e apoiarem a imigração de "hordas de minorias".


"Está aí uma verdade", respondeu Musk. Grupos judaicos compararam a declaração na postagem original a uma crença conhecida como teoria da substituição, uma teoria da conspiração que postula que imigrantes não brancos, organizados por judeus, pretendem substituir os brancos.


A publicidade representava cerca de 90% da receita do Twitter antes de Musk comprar a empresa. Hoje, esse número é de 70%, conforme estimativas recentes de mercado divulgadas pelo The New York Times.


No mês passado, o X informou aos funcionários que a empresa estava avaliada em US$ 19 bilhões. Isso foi reduzido em relação aos US$ 44 bilhões que Musk pagou.


Imagem
Big Fone do BBB 2024 vai tocar em shopping de Londrina neste final de semana
O Big Brother Brasil, programa de entretenimento que mexe cada vez mais com a população brasileira, vai levar o Big Fone para tocar no B
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade