Pesquisar

Canais

Serviços

Saiba mais

Candidato no Santos, Teixeira ainda tenta aprovar contas de 2009 na Justiça

Diego Garcia - UOL/Folhapress
28 nov 2023 às 14:30
- Divulgação
Publicidade
Publicidade

Favorito a vencer a eleição presidencial no Santos, o empresário Marcelo Teixeira ainda briga na Justiça pela aprovação das contas de 2009, quando exerceu o cargo de mandatário máximo no clube pela última vez.


Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade

O processo já dura 13 anos, quando foi aberto pelo ex-presidente contra o clube logo após a reprovação de suas contas, em 2010. Em agosto desse ano, um perito emitiu um parecer de 41 páginas com a realização de uma prova pericial contábil nos autos do processo.

Leia mais:

Imagem de destaque
CONDENADO POR ESTUPRO

Preso, Daniel Alves pode receber quase R$ 50 milhões do governo espanhol

Imagem de destaque
Preparação antecipada

O que Tite está fazendo no Flamengo pensando nos desfalques da Data FIFA

Imagem de destaque
"Eu vim para tentar ajudar"

Rincón fala sobre reconstrução e diz que quer jogar Libertadores no Santos

Imagem de destaque
Após sequência de jogos

Corinthians tem 1ª semana livre com António Oliveira


Ocorre que um parecer da Comissão Fiscal do Santos de 2009 fundamentou a reprovação das contas com base na confusão na negociação do ex-meia Rodrigo Tabata, na polêmica parceria da DIS e o clube, além de atrasos no pagamento de tributos e informações financeiras.

Publicidade


Favorito a vencer a eleição presidencial no Santos, o empresário Marcelo Teixeira ainda briga na Justiça pela aprovação das contas de 2009, quando exerceu o cargo de mandatário máximo no clube pela última vez.


O processo já dura 13 anos, quando foi aberto pelo ex-presidente contra o clube logo após a reprovação de suas contas, em 2010. Em agosto desse ano, um perito emitiu um parecer de 41 páginas com a realização de uma prova pericial contábil nos autos do processo.

Publicidade


Ocorre que um parecer da Comissão Fiscal do Santos de 2009 fundamentou a reprovação das contas com base na confusão na negociação do ex-meia Rodrigo Tabata, na polêmica parceria da DIS e o clube, além de atrasos no pagamento de tributos e informações financeiras.


O processo causou alvoroço na política do Santos. O procurador de Justiça aposentado Marcelo Milani, conselheiro do clube, ingressou com pedido de ingresso na ação na condição de assistente simples do clube no último dia 16 de novembro e pediu pela impugnação ao laudo pericial pelos mesmos motivos que o clube, pois entendeu que o perito emitiu opiniões pessoais e analisou questões jurídicas com interpretações.

Publicidade


Em companhia de outro conselheiro, Gabriel Roldão, Milani ainda entrou com um pedido de impugnação à chapa de Teixeira por causa do processo. Ele afirma que o candidato colocou o clube como réu em uma ação judicial enquanto ainda pretende concorrer à eleição, o que seria uma afronta ao estatuto do Santos e aos códigos de ética e conduta.


O candidato Marcelo Teixeira enviou uma nota à coluna falando sobre o processo. 

Publicidade


Confira abaixo:


"A seguir, um passo a passo completo sobre as contas do presidente Marcelo Teixeira na gestão de 2009.

Publicidade

É importante contextualizar:


As contas foram prestadas no tempo devido e acompanhadas do relatório de Auditoria Independente.

Publicidade

Na oportunidade, a eleição foi ganha por Luiz Álvaro de Oliveira Ribeiro, que, consequentemente, com seu grupo, constituiu o novo Conselho Deliberativo do clube.


Foram esses conselheiros, portanto, que acompanharam parecer da nova Comissão Fiscal, formada pelos novos membros do CD, que reprovaram as contas.


Por entenderem que a reprovação das contas se tratou de uma decisão política, e não técnica, uma vez que foram prestadas nos exatos termos das normas vigentes, os gestores de 2009 propuseram ação judicial de prestação de contas (0038540-37.2010.8.26.0562), com a pretensão da Justiça analisar a lisura dos documentos contábeis apresentados.


O direito à prestação de contas ao Poder Judiciário e à análise e constatação pela Justiça foi reconhecido e transitou em julgado (não cabendo nenhum recurso).


Trata-se, in casu, da concretização do princípio do acesso ao Judiciário, uma vez que, no entender dos autores, seus direitos foram violados ao terem suas contas reprovadas por motivos alheios ao campo técnico-contábil.


O juízo, então, nomeou um perito judicial. A perícia foi realizada em 2023 e concluiu que a prestação de contas respeitou as normas contábeis vigentes. E distinguiu o que seria um julgamento de contas de gestão e reconheceu não ter havido motivos para a reprovação.


O processo continua em tramitação, aguardando a decisão de mérito, mas a prova decisiva reconheceu a correção das contas prestadas.


Para o presidente Marcelo Teixeira, o laudo pericial materializa a justiça que sempre acreditou. 'A verdade vai prevalecer'".


Imagem
Como Fluminense e São Paulo podem decidir o Brasileiro para rivais
O Brasileiro de 2023 pode terminar com Fluminense e São Paulo ajudando rivais na briga pelo título e contra o rebaixamento.
Publicidade
Publicidade

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade