Pesquisar

Canais

Serviços

Marcelo Cortes/Flamengo
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Campeonato Brasileiro

Flamengo é denunciado ao STJD por canto homofóbico em jogo contra o Grêmio

Folhapress
04 nov 2021 às 09:20
Continua depois da publicidade

O Flamengo foi denunciado ao STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) por sua torcida ter entoado um canto homofóbico na vitória por 2 a 0 sobre o Grêmio em 15 de setembro, pela volta das quartas de final da Copa do Brasil, na volta do público ao Maracanã.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

O clube rubro-negro será julgado na próxima segunda-feira (8), às 13h, pela Primeira Comissão Disciplinar do STJD do Futebol.


O julgamento ocorre após o Coletivo de Torcidas Canarinhos LGBTQ apresentar, no dia 27 de setembro, uma notícia de infração ao STJD, com vídeos do jogo onde é possível ouvir os torcedores do Flamengo cantando "arerê, gaúcho dá o c* e fala tchê".


Ao analisar as imagens, a Procuradoria do STJD entendeu que o comportamento dos rubro-negros se enquadra no artigo 243-G do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva), que descreve a prática de ato discriminatório de diferentes tipos.

Continua depois da publicidade


A punição prevista é de "suspensão de cinco a 10 partidas, se praticada por atleta, mesmo se suplente, treinador, médico ou membro da comissão técnica, e suspensão pelo prazo de 120 a 360 dias, se praticada por qualquer outra pessoa natural submetida a este Código, além de multa de R$ 100 a R$ 100 mil".


A peça acusatória, que cita números sobre a violência contra o público LGBTQIA+ no Brasil, abre denúncia não só contra o Flamengo, mandante da partida, mas também contra as autoridades do jogo, que não coibiram os cantos homofóbicos nas arquibancadas nem relataram eles na súmula.


O árbitro Rodolpho Toski, os assistentes Bruno Boschilia e Victor Hugo Imazu dos Santos, e o quarto árbitro Lucas Paulo Torezin foram enquadrados nos artigos 261-A e 266 do CBJD, que descrevem, respectivamente, a responsabilidade da arbitragem em cumprir suas obrigações e relatar ocorrências disciplinares.


Ambos os artigos preveem suspensão e possibilidade de multa de de R$ 100 a R$ 1 mil, o que se assemelha ao artigo 191, III do CBJD c/c Art. 9º, IX do RGC 2021, que embasou as denúncias contra inspetor da CBF Almir Alves de Mello e o delegado da partida, Marcelo Viana, que também serão julgados.

Veja mais vídeos sobre esportes

Continue lendo