Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Bola parada

Flamengo encara crise e tem 'calcanhar de Aquiles' enquanto Tite busca soluções

UOL/Folhapress
09 mai 2024 às 15:00
- Marcelo Cortes/Flamengo
Publicidade
Publicidade

Em meio à crise com os resultados recentes, o Flamengo aponta para um "calcanhar de Aquiles": a marcação na bola parada. Foi dessa forma que a rede do rubro-negro balançou em três das últimas quatro partidas.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Leia mais:

Imagem de destaque
Revitalização da região

Rio de Janeiro desapropria imóvel para construir estádio do Flamengo

Imagem de destaque
Show no Rock in Rio Lisboa

Camila Cabello confunde expressão de Cristiano Ronaldo com vaias

Imagem de destaque
Brasil

Vini Jr gosta de jogo grande e tem Copa América para virar chave na seleção

Imagem de destaque
Balanço

Para Abel, Palmeiras melhorou sem Endrick e cia., mas Dudu terá de remar

A equipe da Gávea tenta voltar aos trilhos, enquanto o técnico Tite é alvo de críticas que elevam o tom a cada partida — até mesmo na vitória, como foi o caso do triunfo simples sobre o Amazonas, pela Copa do Brasil.

Publicidade


Antes ponto forte, o sistema defensivo do Fla levou seis gols nos últimos seis jogos. Destes, metade foi em jogadas originadas em cobranças de escanteios.


O Rubro-Negro viu Botafogo, Red Bull Bragantino e Palestino marcarem desta forma. Em nenhuma das partidas citadas, o resultado foi a vitória dos comandados de Tite.

Publicidade


Os gols foram em contextos diferentes. Contra o rival alvinegro, Luiz Henrique arrematou de primeira, da entrada da área, em jogada ensaiada. O Red Bull Bragantino fez com Pedro Henrique, de cabeça, enquanto, diante do Palestino, Cornejo aproveitou rebote da zaga e bateu de primeira também na entrada da área.


Tite citou "queda de confiança" ao falar sobre a mudança no rendimento do time. "O nível em que nós estávamos em determinado momento caiu porque também caiu a confiança. Tem o cunho tático para ajustar, o individual, o técnico e físico. É sempre um contexto."

Publicidade


Ataque também indica problemas. O time tem indicado dificuldade na criação e o setor ofensivo não tem conseguido ser efetivo como o esperado.


"Problema tático e contextual, não pode dissociar. Quando se encontra resposta única para um problema, é uma situação simplista. É do conjunto", disse Tite.

Publicidade


A derrota para o Palestino fez a panela de pressão ganhar mais força. O Flamengo está fora da zona de classificação às oitavas da Libertadores e vai contar com o fator casa nos dois últimos jogos para mudar o cenário.


O trabalho de Tite começa a entrar em contestação. A ausência de bons resultados e o fato de a comissão técnica optar por poupar alguns jogadores são fatores que causam a ira dos rubro-negros.


Nas últimas partidas, Tite foi hostilizado. Na saída do gramado no Chile, o treinador foi xingado pela torcida, ato que se somou às vaias nos jogos anteriores.


A ausência de reação do time causa preocupação. O comandante rubro-negro admitiu que a equipe passa por "um momento difícil", mas que há a "consciência da necessidade do resultado".


Imagem
Flamengo agoniza antes de Tite rever Corinthians em papéis invertidos
A derrota do Flamengo para o Palestino, em jogo da Libertadores disputado na noite de terça-feira (7), ampliou a pressão sobre o técnico Tite, que vai reencontrar o Corinthians, um velho conhecido, em situação bastante distinta.
Publicidade
Publicidade

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade