Pesquisar

Canais

Serviços

Derrota

Goleiro da Espanha culpa erros absurdos por eliminação

Agência Estado
16 jun 2009 às 16:59
Publicidade
Publicidade

A derrota para os Estados Unidos abalou os jogadores da Espanha. Além de encerrar uma série invicta de 35 jogos da seleção europeia, o resultado de 2 a 0 tirou os comandados de Vicente del Bosque da final da Copa das Confederações. Um dia depois da queda, o momento é de buscar explicações. E o goleiro Iker Casillas, capitão da equipe, foi o primeiro a tentar.

"Tivemos dois erros absurdos, que raramente acontecem, e eles fizeram os gols. Isso apenas mostra que a equipe que joga melhor e tem mais a posse de bola nem sempre sai vencedora. A sorte nem sempre nos segue", disse o jogador do Real Madrid.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


No primeiro gol, o atacante Altidore girou sobre o lateral Capdevilla e ficou frente a frente com o goleiro para marcar. No segundo, Sergio Ramos não cortou um cruzamento e Dempsey aproveitou a falha para empurrar para o fundo das redes.

Leia mais:

Imagem de destaque
Em produção

Globo produz documentário sobre máfia do apito, maior escândalo do futebol brasileiro

Imagem de destaque
Éderson

Novidade da seleção não deixou saudade no Corinthians

Imagem de destaque
Saiba mais

Patrocínio do Corinthians influencia em reajuste de máster do Flamengo

Imagem de destaque
Estreia de documentário

Tetra resgatou autoestima do brasileiro, afirma Romário


A derrota impediu a seleção espanhola de isolar-se como a que mais tempo ficou sem derrotas na história - a equipe divide o feito com o Brasil, que também passou 35 jogos invicto entre 1993 e 1996. Para o goleiro, a derrota uma dia teria de acontecer, e não se deve procurar culpados.


"É claro que não ficaríamos invictos para sempre. Não há razão para questionar os jogadores e o técnico pelo resultado deste torneio, porque nós conseguimos uma sequencia impressionante de vitórias", afirmou Casillas. Ainda assim, o espanhol fez questão de mostrar-se surpreso com o resultado.

"Com toda a sinceridade, acho que só perderíamos para eles uma vez a cada dez jogos. Mas pelo jogo de ontem, eles mereceram chegar à final", afirmou. A Espanha agora se prepara para a decisão do terceiro lugar, no sábado, em Rustenburg. O adversário será o perdedor da partida entre Brasil e África do Sul.


Publicidade
Publicidade

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade