Pesquisar

Canais

Serviços

Para a seleção

Kaká explica por que recusou convite da CBF

UOL/Folhapress
07 fev 2024 às 15:18
- Divulgação
Publicidade
Publicidade

Kaká recebeu um convite da CBF e trabalhar com a seleção brasileira, mas preferiu não aceitar.


Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade

O nome do ex-jogador era citado como possível dirigente da entidade, caso Carlo Ancelotti aceitasse o convite para ser treinador da seleção brasileira - o que não aconteceu.

Leia mais:

Imagem de destaque
Confrontos

Veja cenários da Copa do Brasil e onde assistir ao jogo do seu time

Imagem de destaque
Reunião dia 27

Brasileiro sem rebaixamento não emplaca em clubes gaúchos e CBF

Imagem de destaque
Patrocinadora máster

Gaviões da Fiel cobra explicação de presidente do Corinthians após denúncia

Imagem de destaque
Barra frontal

Corinthians anuncia novo patrocínio para o uniforme; veja detalhes


"Acabei não aceitando por questões pessoais, familiares. Fiquei muito grato, mas não era o momento. E ainda não é. Quero aproveitar um pouco mais esse tempo familiar. Eu sei o quanto demanda o futebol para se fazer um trabalho bem feito. E, no momento, foi essa escolha que fiz", disse em entrevista ao site Quinto Quarto.

Publicidade


Kaká mencionou que planeja voltar em breve à rotina de um clube no futebol, seja como dirigente ou dono de uma equipe. Com 41 anos, ele fez cursos de gestão esportiva e de treinador desde que se aposentou dos gramados.


"Nesse meu período de estudos, eu vi o tanto que há de riscos, principalmente financeiro, dentro dessas questões. Por isso vou sempre com muita cautela. Sei da dificuldade que foi para eu conseguir minha saúde financeira e não vou entrar de uma forma equivocada", completou. 


Desde que parou a carreira profissional, o ex-jogador recebeu sondagens para trabalhar no São Paulo, Milan e Orlando City, mas preferiu não se precipitar na escolha.


"É uma das coisas que eu penso sim. Ter um time. (...) Provavelmente será em algum dos lugares onde eu joguei, mas não tenho a preferência por Brasil, Itália ou Estados Unidos", reforçou.


Imagem
DNA é compatível com o de Daniel Alves, diz perito em julgamento
"É um DNA compatível com o agressor", disse, nesta quarta (7), um dos médicos forenses que examinaram a jovem que acusa o jogador Daniel Alves
Publicidade
Publicidade

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade