Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Polêmica

Manifestação de atleticanos em hotel irrita Conmebol

Agência Estado
24 jul 2013 às 14:13
Publicidade
Publicidade

As manifestações do torcedores do Atlético-MG na porta do hotel onde a delegação do Olimpia está hospedada, na zona sul de Belo Horizonte, irritaram a Conmebol, que promete mudanças no regulamento da Libertadores a partir do próximo ano e ameaça até levar a decisão do torneio para um país neutro.

"Estamos preocupados com a violência. Não somos especialistas nesse tema, somos esportistas, mas a partir da próxima Libertadores os clubes serão responsabilizados, punidos, perderão mando de campo e a final pode até ser em um país neutro", prometeu o presidente da Conmebol, Eugenio Figueiredo.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Centenas de atleticanos passaram a madrugada desta quarta-feira na porta do hotel do Olimpia com rojões, apitos e gritos de guerra, e fizeram muito barulho com o objetivo de não deixar os atletas do time paraguaio dormirem na véspera da decisão da Libertadores. Torcedores chegaram a colocar fogo em uma mata perto do hotel. À tarde houve discussão com torcedores do adversário.

Leia mais:

Imagem de destaque
Saiba mais

Romário tinha atalho para escapulidas e deu roupa para não apanhar em 1994

Imagem de destaque
Conheça a história:

Seleção cravou valor do bicho pelo tetra em guardanapo após trauma de briga

Imagem de destaque
Entenda

Por que o Flamengo pensa em ter um clube na Europa e tem Portugal como alvo

Imagem de destaque
Confusão

Caos na Copa América gera pressão da Fifa em Miami sobre Mundial de Clubes


"Fizeram uma batalha campal no lobby do hotel. Isso não é normal. Nossos jogadores não conseguiram dormir. Estão cansados", criticou o presidente do Olimpia, Oscar Caríssimo, que garantiu que a delegação não trocou de hotel.

O presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, também reclamou da recepção dos paraguaios no primeiro jogo da final. "Apenas ontem é que um torcedor nosso que levou um tiro de arma de fogo pôde retornar ao Brasil."


Publicidade
Publicidade

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade