Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Luto

Morre Apolinho, radialista e ex-técnico do Flamengo, aos 87 anos

Cristina Camargo - Folhapress
16 mai 2024 às 10:35
- Reprodução/Facebook
Publicidade
Publicidade

Considerado um dos maiores comunicadores do esporte brasileiro, morreu nesta quarta-feira (15), aos 87 anos, o comentarista e apresentador Washington Rodrigues, o Apolinho. A informação foi confirmada pela Super Rádio Tupi, onde ele atuava desde 1999.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Leia mais:

Imagem de destaque
Para enfrentar o São José

Em jogo-treino, Londrina EC goleia com gol de estreante

Imagem de destaque
Em casa

Como Abel já ajudou Endrick a encontrar 'sua Disney' na seleção de Dorival

O jogador Dudu, da SE Palmeiras, durante jogo-treino, na Academia de Futebol. (Foto: Cesar Greco/Palmeiras/by Canon)
Campeonato Brasileiro

Palmeiras prepara Dudu para primeiro jogo no ano após quase 300 dias fora

Imagem de destaque
Sabino

Por que São Paulo avalia permanência de zagueiro que jogou só 28 minutos

"Para tudo, para o jogo, 4 a 0 para o Flamengo. Quero pedir desculpas aos ouvintes pela minha emoção. São 25 minutos do segundo tempo. Hoje, 15 de maio de 2024, acaba de falecer Washington Rodrigues, o Apolinho, supremo ídolo, depois de uma vida tão brilhante", anunciou, chorando, o locutor Luiz Penido, durante a transmissão do jogo entre Flamengo e Bolivar pela Libertadores.

Publicidade


Apolinho estava internado no Hospital Samaritano, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, onde fazia tratamento contra um câncer.


"Em décadas de carreira, moldou a forma como vivemos o futebol. Criou expressões inesquecíveis -é impossível lembrar do gol do Pet, em 2001, sem lembrar do aviso que 'acaba de chegar São Judas Tadeu' na voz de Apolinho", escreveu, em nota, a diretoria do Flamengo, clube em que foi treinador no ano do centenário e depois e diretor técnico.

Publicidade


Segundo o Flamengo, ele era admirado até pelas torcidas adversárias pelo carisma, imparcialidade e paixão pelo time.


"Ele nos deixou em uma noite em que o Flamengo venceu com chocolate -expressão inventada por ele para definir goleadas", completa a nota.

Publicidade


Nascido no Rio, Apolinho costumava contar que desde a infância era um amante do futebol e costumava organizar saídas da escola para frequentar o recém-inaugurado Maracanã.


Foi bancário, jogou futebol de salão e começou na profissão mandando boletins esportivos para a Rádio Guanabara, onde trabalhou anos mais tarde.

Publicidade


O comunicador atuou também nas rádios Globo e Nacional, em dupla com José Carlos Araújo, o Garotinho. Escreveu para jornais e trabalhou também em emissoras de TV. Na Super Rádio Tupi, onde estava há mais de duas décadas, ficou famoso com o popular Show do Apolinho e formou dupla com Penido, que nesta quarta falou sobre o amigo, aos prantos.


"Ele parte deixando um legado, entrando na história do rádio nesses mais de 60 anos de atividade. A dor é muito profunda, Apolinho", disse. "Ele morreu com o Flamengo em vantagem. Ele morreu com o Flamengo ganhando o jogo e se classificando. Parte para a vida eterna".

Publicidade


Araújo disse que o radialista foi um grande parceiro de sua vida profissional e amigo além da latinha. "Não existe palavra para expressar o tamanho do vazio que fica com a sua despedida", lamentou.


A CBF divulgou nota sobre a morte e chamou Apolinho de lenda da comunicação brasileira.

Publicidade


"Neste momento de dor, a CBF presta solidariedade aos familiares e fãs pela partida deste grande jornalista e apaixonado pelo futebol", disse o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, que está em Bangkok, na Tailândia, participando do Congresso da Fifa.


CHOCOLATE


Segundo o Guia dos Curiosos, o comentarista estava na cabine da Rádio Nacional e lembrou de um refrão do clássico "El Bodeguero", do cubano Richard Egûes (1924-2006), para falar sobre a vitória do Vasco por 4 a 0 contra o Internacional, em 25 de janeiro de 1981, em partida do Campeonato Brasileiro. Os vascaínos comemoraram a goleada como vingança para a derrota sofrida no final do campeonato de 1979.


"Toma chocolate. Paga lo que debes", diz o refrão da canção que entrou para o repertório de Nat King Cole. "Assim, tomar um chocolate foi incorporado ao jargão futebolístico", diz a publicação.


Em entrevista ao Museu da Pelada, o comunicador contou que o apelido surgiu na Rádio Globo, em uma época em que a emissora havia comprado equipamentos de comunicação que os astronautas da missão Apolo 11 utilizavam. "Lá vai o Washington Rodrigues com o seu "apolinho", dizia o radialista Waldir Amaral sobre o microfone do colega. O apelido pegou.


Era conhecido pelos amigos pelo bom humor, além da paixão pelo Flamengo. Aos 82 anos, declarou em entrevista à ESPN que acataria qualquer convocação do clube. "Se chamar para ser goleiro, eu vou", afirmou.


Apolinho deixa três filhos e sete netos. O local do velório ainda não foi informado.


Imagem
Morre Antero Greco, aos 69, que uniu jornalismo 'das antigas' com humor na TV
Mas a língua afiada de Antero Greco, com comentários sagazes e alguns trocadilhos, deram ao tradicional Sportscenter uma marca pessoal do jornalista.
Publicidade
Publicidade

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade