Pesquisar

Canais

Serviços

Libertadores

Palmeiras é recebido com protesto após eliminação

Agência Estado
18 jun 2009 às 18:57
Publicidade
Publicidade

Apesar de não descer no aeroporto em São Paulo, após a eliminação da Copa Libertadores, jogadores do Palmeiras e, principalmente, o técnico Wanderlei Luxemburgo foram muitos cobrados na chegada, nesta quinta-feira, no Aeroporto Afonso Pena, na região metropolitana de Curitiba.

"Eu assumo a responsabilidade, eu assumo a responsabilidade", declarou o presidente do clube, Luiz Gonzaga Belluzzo, o primeiro a deixar a sala de desembarque. Ele precisou reagir aos gritos para se fazer entender pelos cerca de 10 integrantes da torcida organizada Mancha Alviverde.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade


Eram poucos os manifestantes - outras cerca de 30 pessoas foram apoiar o time e até bateram palmas quando o ônibus da delegação deixou o aeroporto - mas fizeram muito barulho. Antes mesmo da chegada do avião, eles já ensaiavam os gritos: "Chega de historinha, o Luxemburgo só ganha paulistinha" e "Luxemburgo, preste atenção, o Brasileiro virou obrigação".

Leia mais:

Imagem de destaque
Sul-Americana

SBT tem maior audiência do ano em transmissão de vitória do Corinthians

Imagem de destaque
Favorito da torcida

Vini Jr. diz estar em sua melhor versão após gritos por Bola de Ouro

Imagem de destaque
Treta

Textor envia ao STJD gravação usada para alegar corrupção de ex-árbitro

Imagem de destaque
Fica ou sai?

Corinthians venera Cássio em meio a mistério no clube

Como alguns gritos tornaram-se ofensivos, Belluzzo acabou discutindo com os torcedores. "Eu não sou cagão", protestou, enquanto novamente dizia que assumia toda a responsabilidade pelo que está acontecendo no grupo. E defendeu os atletas. "Os jogadores jogaram com coragem", acentuou. Ele até chegou a pedir calma em certo momento, encarando um dos torcedores e tentando argumentar.


Publicidade
Publicidade

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade