Pesquisar

Canais

Serviços

Brasileirão

São-paulinos destacam evolução do time com Wellington

Agência Estado
15 out 2012 às 18:34
Publicidade
Publicidade

O São Paulo era um time sem Wellington e é outro agora com o volante no time titular. Os números provam isso. Desde que ele voltou de lesão, participou de pouco menos de 500 minutos de futebol, o equivalente a mais de cinco jogos completos. Nesse período, o São Paulo só tomou um gol, de Bruno Mineiro, da Portuguesa.

Com Wellington em campo, a defesa ficou muito mais protegida e os laterais passaram a atacar com mais segurança. Não à toa o São Paulo entrou pela primeira vez no G4 e já almeja brigar pela terceira e quem sabe até pela segunda posição do Brasileirão. Os companheiros de equipe reconhecem a mudança.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


"Ele é um jogador de muita força e sabe sair jogando. Ele reforçou muito a parte defensiva, mas também ofensiva", comenta Rafael Toloi. O meia Jadson concorda: "Depois que o Ney (Franco) colocou esse esquema com mais um volante a equipe cresceu bastante e tem mostrado que estamos crescendo com consistência".

Leia mais:

Imagem de destaque
Série A

Brasileiro mantém 'cota' e começa com quase metade de técnicos estrangeiros

Imagem de destaque
Campeonato

Brasileirão 2024 chega como tira-teima na discussão sobre gramado sintético

Imagem de destaque
Tubarão

Em reta final de negociação com a Squadra Sports, Londrina EC recebe nova proposta por SAF

Imagem de destaque
Espaço Villa Rica

Documentário 'De Volta à Glória - 2014: O Renascimento do Tubarão' será exibido neste sábado em Londrina


O problema é que Wellington só começou a voltar à equipe no final de agosto, depois de seis meses afastado por conta de uma cirurgia no joelho . Quando o volante se recuperou completamente e ganhou ritmo de jogo, o time cresceu, tanto que não perde há mais de um mês. O único empate pelo Brasileirão nesse período foi contra o Coritiba, exatamente quando Wellington cumpriu suspensão.

Publicidade


O crescimento tardio no Brasileirão é motivo de lamentações no clube. "O elenco fica um pouco frustrado porque temos qualidade e o Fluminense se distanciou. Precisamos buscar o segundo ou terceiro colocado e temos isso em mente", comentou Jadson.


Para Rafael Tolói, o São Paulo precisa manter o ritmo para se manter no G4. "Estamos felizes porque queríamos entrar no G4, agora não podemos deixar cair. Queríamos estar no G4 antes e agora que chegamos vamos pensar jogo a jogo e quem sabe subir mais algumas posições."

Para pegar o Atlético-GO, nesta quinta-feira, no Morumbi, o técnico Ney Franco não deverá ter nenhum novo desfalque. Lucas, que serve à seleção, e Denilson, poupado contra o Figueirense, devem voltar ao time titular.


Publicidade
Publicidade

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade