Pesquisar

Canais

Serviços

Júlio César de Almeida, da UEL, explica sobre as formigas saúvas na Fazendinha da ExpoLondrina. - Fernando Buchhorn/Portal Bonde
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Fazendinha

Aprenda a controlar a população de saúvas na sua casa

Fernando Buchhorn-Redação Bonde
06 abr 2018 às 17:03
Continua depois da publicidade

Elas são bonitinhas e bastante trabalhadoras, mas podem causar um imenso prejuízo em plantações, hortas e pomares. Comuns no Estado de São Paulo, as formigas saúvas estão aumentando sua população no Paraná por conta do clima e solo favoráveis, tornando-se pragas urbanas. Na ExpoLondrina 2018, é possível conhecer mais sobre elas na Fazendinha.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Júlio César de Almeida, universitário integrante da Unidade das Formigas Cortadeiras do Departamento de Agronomia da UEL (Universidade Estadual de Londrina), estuda o controle químico das cortadeiras e explica que a hipótese de extermínio é praticamente inviável, pois são insetos que se dividem socialmente, atribuindo funções específicas a cada grupo, e cujos formigueiros podem viver até 20 anos.

Continua depois da publicidade


De acordo com Almeida, que está na Fazendinha da ExpoLondrina, por meio da desfolha, processo de retirada das folhas de uma planta, as saúvas podem inclusive ocasionar a morte de uma planta.


Ouça como pode ser feito o controle dessa espécie na entrevista com Almeida.

Continua depois da publicidade



Além de ensinar como pode ser feito o controle das formigas cortadeiras, a unidade da UEL na ExpoLondrina também atrai os olhos curiosos sobre como funciona um formigueiro por dentro.


A Unidade das Formigas Cortadeiras está locada na Fazendinha da Expo 2018.


Continue lendo