Pesquisar

Canais

Serviços

Consumo de cálcio ajuda a garantir a saúde dos ossos no futuro - Reprodução
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Cálcio, o amigo número 1 dos ossos

Chiara Papali - Folha de Londrina
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

O cálcio pode ser considerado o amigo número 1 dos ossos. Mas, será que crianças e adolescentes estão consumindo alimentos que suprem a necessidade diária da substância?

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

''A necessidade maior de cálcio na adolescência existe porque o pico de formação da massa óssea ocorre dos dez aos 14 anos de idade'', explica a nutricionista Elaine Cristina Rocha de Pádua, organizadora de uma pesquisa em São Paulo que mostrou que adolescentes estão trocando o leite e o iogurte pelo refrigerante. O resultado são ossos mais fracos e quilos a mais na balança.

Continua depois da publicidade


Em Londrina, não existe pesquisa parecida, mas a experiência profissional mostra que os números também refletem a realidade daqui. ''As crianças estão deixando de tomar leite, acabam trocando por refrigerante ou suco. Essa troca pode comprometer o crescimento, o indivíduo atingir seu pico de massa óssea programada geneticamente'', alerta a nutricionista Eliane Garcia, de Londrina.


Poucos adolescentes sabem que o cálcio ajuda a garantir a saúde dos ossos no futuro, e a evitar doenças como osteoporose. ''É uma estratégia de baixo custo que pode reduzir a incidência de fraturas ósseas na idade avançada. Se eles não formam bem os ossos agora, correm um risco muito grande de ter osteoporose depois dos 40 anos de idade'', alerta Eliane.


Segundo o reumatologista Rick Adachi, muita gente substituiu o leite pelo refrigerante diet para evitar a obesidade, mas o leite desnatado oferece boas quantidades de cálcio sem pesar na balança. Além disto, existem evidências de que o baixo consumo do cálcio esteja ligado ao aumento de peso. ''Segundo algumas pesquisas, o cálcio ajudaria na utilização da energia'', diz a nutricionista Larissa Puglia, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), especialista em obesidade.

Continua depois da publicidade


Leite e derivados são ótimas fontes de cálcio, mas não são as únicas. Alimentos como brócolis, couve-manteiga, sardinha e feijão também contêm boas quantidades do elemento. O ideal, segundo Elaine, é comer um pouco de todos estes alimentos.


A nutricionista Nilcéia Godoy Mendes, de Londrina, lembra que outra fonte da substância é o gergelim, ''com dez vezes mais cálcio que o leite, e prontamente absorvido''. ''Você pode bater no suco, colocar na salada, ou comer no pão. Uma colher por dia é o ideal'', avalia.


É preciso também saber consumir a substância para que ela seja bem aproveitada pelo corpo. Larissa ensina: leite e derivados devem ser consumidos no café da manhã e nos intervalos das refeições, para que o ferro contido nas carnes, vegetais e leguminosas não atrapalhem sua absorção pelo organismo. ''O consumo excessivo de proteína de origem animal, cafeína e sal aumentam a eliminação de cálcio através da urina'', informa Eliane.


Para quem tem intolerância à lactose, presente no leite, uma boa opção é o leite de soja em pó. ''E, se a criança não gosta do leite de vaca, outra opções são o queijo, requeijão e iogurte'', ensina Eliane.

Ela lembra ainda que, se na infância e adolescência, a época é de formar uma ''poupança'' de cálcio para o futuro, na idade adulta é hora de fazer a manutenção dos ossos. Por isso, mesmo em menor quantidade, adultos também precisam ingerir cálcio. ''O organismo precisa da substância para um bom funcionamento, e se não tem, vai retirar dos ossos'', explica.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade