Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
O poder das narrativas

Por que seus líderes devem aprender sobre Storytelling

Equipe Caput
29 jul 2016 às 11:02
Continua depois da publicidade

Quantas vezes você se viu completamente envolvido pela história de um filme ou de um livro? Muitas, não é mesmo? As narrativas têm o poder extraordinário de persuadir, influenciar e emocionar os telespectadores, leitores e ouvintes. E como as empresas já se deram conta disso, têm adotado o Storytelling dentro do ambiente corporativo.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Leia mais sobre o assunto Liderança no blog da Caput.

Continua depois da publicidade


Mas, afinal, o que significa Storytelling e como é possível aplicá-lo em sua organização? A palavra em inglês quer dizer, em tradução livre, a arte de contar boas histórias. Roteiristas de cinema, designers, jornalistas, publicitários e escritores já fazem isso há bastante tempo. Nas empresas, o método hoje já é utilizado para treinar líderes, motivar colaboradores ou criar uma relação emocional com clientes, por exemplo.


Para que o post não fique longo demais, vamos nos concentrar apenas na importância do uso da técnica pelos líderes e em como a sua empresa pode torná-los bons contadores de histórias ao tocar nesse assunto durante o Programa de Formação de Lideranças.

Continua depois da publicidade


Confira as nossas dicas:


Ensine-os a contar histórias reais vividas por eles


Todo líder precisa de boas histórias para superar as resistências da equipe em processos de mudança, conseguir o apoio do alto staff numa situação crítica ou transmitir novas ideias aos clientes. E para que consigam a atenção e a adesão das pessoas, o mais recomendável é que utilizem narrativas inspiradas em fatos reais e que, especialmente, aconteceram com eles mesmos. O motivo é simples: é muito mais fácil acreditar e acolher exemplos práticos contados por quem os vivenciou.

Lembre-os de que histórias curtas têm mais impacto


Como a maior parte das pessoas não desenvolveu uma grande capacidade de escuta ao longo de suas vidas, quanto mais objetiva e direta for a história e a mensagem contida nela, maior será seu potencial de gerar os resultados esperados junto aos ouvintes. Um bom contador de histórias, portanto, não fica "enchendo linguiça".


Incentive-os a contar histórias com um final surpreendente


Todos apreciamos escutar pessoas que concluem suas narrativas de uma forma inesperada. Infelizmente, alguns líderes são muito previsíveis quando apresentam argumentos, fazendo com que os ouvintes logo compreendam aonde eles querem chegar e, consequentemente, fiquem torcendo para que terminem logo de falar (afinal, seus cérebros já anteciparam a conclusão da história). A habilidade de contar histórias com um clímax derradeiro, portanto, é uma das armas dos líderes que são hábeis em transmitir ideias.


Lembre-os de que o "contador de histórias" é um comunicador completo


Para conseguir transmitir de forma clara uma mensagem, é necessário criar uma conexão emocional com os ouvintes. Por isso, o líder deve se preocupar com o seu tom de voz, saber lidar com as reações da plateia, fazer gestos precisos e até ser engraçado, se necessário. Quando a mensagem é passada de forma leve, descontraída e interessante, é muito mais fácil prender a atenção e convencer. Além disso, o conteúdo é facilmente assimilado e as pessoas têm vontade de dividi-lo com os colegas de trabalho, amigos e família.


# A pergunta que não quer calar…

Diante disso tudo, vale a pena desenvolver um módulo de treinamento específico sobre Storytelling para os gestores?


Vale a pena sim, especialmente se você percebe que os líderes da companhia adotam um método de comunicação muito formal e previsível ao interagirem com outras pessoas. A partir do instante que eles compreenderem os princípios utilizados por bons contadores de histórias e passarem a utilizá-los em seu dia a dia, certamente os resultados já começarão a aparecer no curto prazo.


Assim como nos filmes e livros, as narrativas corporativas são sempre construídas em torno de um conflito e exigem uma tomada de atitude do protagonista para resolvê-lo. Talvez, os seus líderes ainda não tenham maturidade e experiência suficientes para narrar histórias reais – só o tempo e as vivências vão trazer esta bagagem. Nestes casos, você pode incentivá-los a se inspirar em parábolas, fábulas, contos. Jesus Cristo, o maior líder de todos os tempos, sempre se utilizou de parábolas para se comunicar e se fazer entender. Não há motivos para não tentar, não é mesmo?


O fato é que o Storytelling, como você deve ter percebido, é atributo fundamental para a liderança. A capacidade de contar boas histórias é que vai diferenciar líderes comuns de líderes extraordinários.


Que tipo de gestor você quer na sua empresa?

Fonte: O post foi inspirado nas informações de reportagem publicada na edição número 99 da Revista HSM, de Julho-Agosto de 2013.


Continue lendo