Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Pets obesos

Cães sedentários necessitam de cuidados ao fazer exercícios na companhia dos donos

Redação Bonde / Assessoria de Imprensa
16 dez 2014 às 14:18
- Reprodução
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Com a chegada do período de férias, muitos donos vêem uma boa oportunidade de acabar com o sedentarismo, praticando corridas e caminhadas, ao lado de seus cães. Mas assim como os seres humanos, estes animais também precisam de cuidados especiais na hora de praticar exercícios mais intensos, quando não estão habituados ou possuem alguma limitação física.

"Cães sedentários, obesos ou idosos, por exemplo, também ficam muito animados quando são levados para passear. Contudo, pets com este perfil não têm o hábito de praticar atividades físicas de maneira mais frequente e intensa.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Por isso, os donos precisam tomar cuidado, já que existe o risco de que eles desenvolvam lesões, problemas de coluna e até alterações cardíacas ou respiratórias, caso excedam os seus próprios limites, durante corridas ou caminhadas", explica a veterinária, Andréia Lordelo Uesugui.

Leia mais:

Imagem de destaque
Oleosidade

Sabonetes enzimáticos auxiliam no controle de filamentos sebáceos na pele

Imagem de destaque
Análise

Atendimentos por telemedicina no Brasil crescem 172% em 2023 após lei que regulamenta saúde digital

Imagem de destaque
Dia do beijo

De herpes à surdez, saiba quais são os riscos do beijo

Imagem de destaque
No Brasil

Uso de canabidiol para tratar dependência de crack é melhor do que remédios convencionais, diz estudo


Para que a prática de exercícios seja segura para os cães, a veterinária explica que é importante ir aos poucos e tomar alguns cuidados importantes com os animais. "Para correr ou apenas caminhar com os cães, o melhor é sempre escolher horários menos ensolarados do dia.

Publicidade


Diferentemente de nós, eles não possuem glândulas sudoríparas e não suam. Por isso, cães de todos os tipos sempre ficam exaustos e ofegantes, depois de ficar muito tempo embaixo do sol", explica a veterinária. "Além disso, os animais podem ter queimaduras nas patas por causa do asfalto quente."


Idosos

Publicidade


Reprodução
Reprodução


Cães com idade a partir dos sete anos precisam mais ainda de cuidados. Idosos, muitos deles costumam apresentar alterações cardíacas e graus elevados de problemas de coluna e articulares como displasia coxo-femoral. "Os exercícios físicos são importantes para a saúde de cães de todas as idades", explica Andréia. "Porém, quando ficam idosos, o recomendado é que os seus donos diminuam o ritmo de corridas ou caminhadas e encurtem a distância dos trajetos a serem percorridos, à medida que os animais forem se cansando."
Obesos e sedentários


Animais obesos e sedentários, também precisam fazer exercícios em um ritmo mais lento. Embora necessitem de atividades físicas para perder peso e entrar em forma, muitos correm o mesmo risco de sofrer com problemas cardiovasculares que os idosos, além de também apresentarem maior propensão a sofrer distensões musculares e ruptura de ligamentos das pernas.

Publicidade


"Ao menos no início, a rotina de exercícios dos cães com esse perfil precisa seguir em um ritmo mais lento. Conforme entrarem em forma, os donos podem intensificar a prática de atividades físicas com eles", acrescenta a veterinária da Pet Center Marginal.


Confira algumas dicas para fazer um passeio seguro com o seu cão:

Publicidade


- Antes de sair com o animal, é importante que você e o cão bebam bastante água. Contudo, é recomendável que os pets ingiram o líquido em pequenas quantidades. Beber muita água, de uma vez só, pode desencadear torções gástricas nos animais, principalmente nos de grande porte.


- Para ditar o ritmo da caminhada ou da corrida, o dono deve conduzir o cão corretamente. Para isso, é preciso levá-lo sempre do lado esquerdo sem deixar que ele te arraste. Isso evita má postura na coluna, quando estiver conduzindo o animal.

Publicidade


Reprodução
Reprodução


- Outra opção é levar o cão com guias extensoras. Elas permitem mais mobilidade. No entanto, são recomendadas apenas quando o animal já está acostumado a acompanhar o dono.


- Também é preciso respeitar o tempo do cão nos passeios. Não adianta ficar dando tranco na coleira, quando ele parar e cheirar alguma coisa. É o mesmo que alguém nos puxar, enquanto paramos para ver uma vitrine, por exemplo. Para os cães, o passeio tem que ser um momento de lazer e não de estresse.


- Sempre que o cão demonstrar cansaço e quiser parar, respeite. Deixe-o descansar e ofereça água. Procure um veterinário, caso ele se canse muito depressa.


- Ao final de cada passeio, recompense o cão, dando a ele um biscoito canino ou um brinquedo. Isso fará com que ele seja mais obediente, já que aprenderá a esperar por um "prêmio" ao final de cada passeio.

Reprodução/ David Camargo
Reprodução/ David Camargo


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade