Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Cuide-se!

Carnaval: veja cinco doenças mais comuns que podem ser passadas por beijo

Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
13 fev 2024 às 10:02
- Haritanita/Freepik
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Candidíase labial, herpes e cárie podem ser transmitidos ao beijar 


O Carnaval é um dos períodos mais propício para beijar na boca e ainda contrair diversos tipos de doenças. Por mais inofensiva que parece ser, a troca de saliva pode provocar infecções como a mononucleose infecciosa, herpes e até candidíase oral. Para alertar sobre os cuidados, o cirurgião dentista Paulo Zahr, presidente do Grupo OdontoCompany, listou as cinco problemas mais comuns passados pelo beijo:

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Doença do beijo

Leia mais:

Imagem de destaque
Saiba mais

Anvisa discute regulamentação de cigarro eletrônico no Brasil

Imagem de destaque
Pacientes de até 12 anos

Unimed Londrina inaugura nova unidade de atendimento pediátrico 24 horas

Imagem de destaque
Entenda

Saúde não vai ampliar faixa etária de vacinação contra a dengue no PR

Imagem de destaque
Municípios decidem estratégias

Saúde amplia vacina contra a dengue com vencimento até 30 de abril para 4 a 59 anos


A mononucleose infecciosa, popularmente chamada de “doença do beijo”, é causada pelo vírus Epstein-Barr. Costuma ser silenciosa e é caracterizada por sintomas como febre, dor de garganta, fadiga e aumento dos gânglios linfáticos.

Publicidade


Candidíase Oral


Mais conhecida como ‘’sapinho’’,  é responsável pelo surgimento de uma série de sinais que afetam as mais diversas regiões da boca, mesmo que sejam muito mais recorrentes na área da língua. “Esse fungo é normalmente passado de pessoa para pessoa por meio do contato direto. Um bom exemplo de prática que favorece essa transmissão é o beijo, mas o contato sexual também pode ser o responsável pelo contágio. Além disso, o ato de compartilhar utensílios e objetos também pode ser um possível agente causador do problema”, frisa.

Publicidade


Além de afetar a saúde bucal, a candidíase pode trazer malefícios para outras regiões, espalhando para, por exemplo, órgãos do sistema respiratório e até para a pele.


Herpes labial

Publicidade


O herpes simplex vírus (HSV-1) pode ser transmitido por meio do contato direto com uma lesão ativa ou ferida no lábio. É caracterizado por pequenas bolhas ao redor dos lábios.


Cárie dentária

Publicidade


Certas bactérias, como Streptococcus mutans, que contribuem para a cárie dentária, também podem ser transmitidas pela troca de saliva. Essa é mais um risco que se corre ao trocar beijos com estranhos.


Infecções respiratórias


O vírus da gripe ou resfriado, responsáveis por infecções respiratórias, podem ser transmitidos através das gotículas de saliva presentes no beijo.


O dentista comenta que o risco de transmissão dessas doenças pode ser reduzido com práticas simples de higiene bucal, como escovação regular dos dentes e uso de fio dental. “É importante ficar alerta e evitar trocar beijos quando há lesões visíveis ou sintomas de doenças transmissíveis. Além disso, a comunicação aberta e a conscientização sobre a saúde pessoal de cada um também podem ajudar a prevenir a transmissão de doenças”, finaliza Zahr.


Imagem
Anvisa alerta sobre repelentes adequados para evitar o mosquito da dengue
A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) divulgou orientações sobre os tipos de repelentes adequados para evitar o Aedes aegypti, que transmite a dengue, zika e chikungunya.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade