Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Saiba mais

Cientistas criam vacina que pode proteger de vários tipos de coronavírus

UOL/Folhapress
07 mai 2024 às 12:08
- Tânia Rêgo/Agência Brasil
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Uma nova vacina desenvolvida por pesquisadores tem potencial para a proteção contra vários tipos de coronavírus, muitos ainda sequer conhecidos.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Leia mais:

Imagem de destaque
Alerta

Saúde pede atenção para casos de febre Oropouche no Brasil

Imagem de destaque
Como Yuri fez com a Iza

Um em cada dez homens traem a mulher na gravidez, diz estudo

Imagem de destaque
Entidades privadas

Conselho proíbe acolhimento de crianças e adolescentes em comunidades terapêuticas

Imagem de destaque
Nos EUA

1º transplante de laringe faz paciente com câncer recuperar a voz

Estudo foi publicado pela revista científica Nature Nanotechnology nesta segunda (6). A nova vacina funcionaria por meio de antígenos que são ligados a uma estrutura chamada nanopartícula. Ela treina o sistema imunológico do corpo para reconhecer pelo menos oito tipos de coronavírus diferentes, entre eles SARS-CoV-1, SARS-CoV-2.

Publicidade


Vacina passou por testes em ratos. O imunizante provocou uma ampla resposta imunológica, mesmo em ratos que foram pré-imunizados com SARS-CoV-2.


"Criamos uma vacina que oferece proteção contra uma ampla gama de diferentes coronavírus - incluindo aqueles que ainda nem conhecemos. Nosso foco é criar uma vacina que nos proteja contra a próxima pandemia de coronavírus e que esteja pronta antes mesmo de a pandemia começar", afirmou Rory Hills, pesquisador do Departamento de Farmacologia da Universidade de Cambridge, primeiro autor do relatório, em comunicado.


"Não precisamos esperar que surjam novos coronavírus. Sabemos o suficiente sobre os coronavírus e as diferentes respostas imunológicas a eles, para que possamos começar a construir vacinas protetoras contra coronavírus desconhecidos agora", disse Mark Howarth, professor do Departamento de Farmacologia da Universidade de Cambridge, autor sênior do estudo.


O trabalho envolveu uma colaboração entre cientistas da Universidade de Cambridge, da Universidade de Oxford e do Caltech.


Imagem
Laboratório da UEL recebe R$ 1,3 mi para pesquisar bactérias super-resistentes
Pesquisadores do Labbep (Laboratório de Bacteriologia de Peixes) da UEL (Universidade Estadual de Londrina) receberam este mês investimen
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade