Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Alarmante

Em Londrina, mortes por dengue disparam 400% em um ano

Pedro Marconi - Grupo Folha
11 abr 2024 às 13:41
- Caroline Knup
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O número de vidas perdidas para a dengue em Londrina disparou no período de um ano. Se na segunda semana de abril de 2023 a secretaria municipal de Saúde havia contabilizado quatro mortes, nesta mesma época deste ano já são 20, um aumento de 400% em 12 meses. Entre semana passada e o último boletim, da noite de quarta-feira (10), foram quatro novos registros.


Todas as vítimas estavam internadas e possuíam comorbidades: um homem de 73 anos, que tinha Alzheimer; outro de 81, com hipertensão arterial e hipotireoidismo; uma mulher de 37 anos, obesa; e uma jovem de apenas 20 anos, que enfrentava a síndrome de Werdnig-Hoffman. Os falecimentos aconteceram entre os dias 14 e 30 de março, no entanto, foram divulgados agora após estudo das equipes técnicas da pasta e da 17ª Regional de Saúde.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Os casos da doença também tiveram um crescimento significativo entre um ano e outro. Em 13 de abril de 2023 eram 2.738 positivações, enquanto que atualmente são 13.335, uma elevação de 383%. Em menos de quatro meses deste ano são 33.121 notificações, com 7.772 suspeitas descartadas e 12.014 em análise.

Leia mais:

Imagem de destaque
Boletim semanal

Saúde registra morte de bebê de nove meses por dengue no Paraná

Imagem de destaque
Cuide-se!

Covid mata mais do que dengue em 2024

Imagem de destaque
O ex-MC Bin Laden

MC Binn diz que vai iniciar um novo tratamento contra ansiedade: 'Se agravou na casa do BBB 24'

Imagem de destaque
Centro-Norte

Apucarana registra aumento de 79% de mortes por doenças respiratórias no primeiro quadrimestre


'MOMENTO DE GRANDE TENSÃO'

Publicidade


O secretário municipal de Saúde reconheceu que Londrina atravessa um “momento de grande tensão”. “Tínhamos a expectativa de que na última semana os dados começassem a diminuir e isso não se concretizou”, afirmou Felippe Machado. “Os números ainda são altos e todas ações, enquanto cidadãos, que puderem ser feitas são cruciais, como recolher os lixos (dos quintais), eventuais criadouros, para que saíamos desta tensão”, advertiu.


A média de atendimentos na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Sabará, na região oeste, e na UBS (Unidade Básica de Saúde) do Ouro Branco, na sul, é de 2.000 pacientes por dia. As unidades são exclusivas para casos suspeitos ou confirmados da dengue. “Sem contar as dezenas de pessoas que são atendidas nas unidades básicas em decorrência do acompanhamento do monitoramento da dengue. As duas unidades são referências para a primeira consulta, mas os pacientes voltam às UBS durante a semana para o estadiamento por até dez dias”, explicou.


LEIA MAIS NA FOLHA DE LONDRINA.


Imagem
Mortes por dengue disparam 400% em um ano em Londrina
Com menos de quatro meses, cidade já contabilizada 20 óbitos em decorrência da doença; entre as novas vítimas está uma jovem
Imagem
Londrina será 'cobaia' de novo método de combate à dengue no segundo semestre
No final do ano passado o Ministério da Saúde informou que Londrina, junto com outras cinco cidades, foi selecionada para participar da
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade