Pesquisar

Canais

Serviços

- Ricardo Chicarelli/Arquivo FOLHA
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Humanização

HU de Londrina é o primeiro do país a permitir visita guiada ao paciente com Covid

Redação Bonde com assessoria de imprensa
19 out 2020 às 16:55
Continua depois da publicidade

Dia 28 de outubro comemora-se o Dia do Servidor. A direção e os gestores do HU/UEL (Hospital Universitário da UEL) programaram várias atividades pensando no bem-estar de seu colaborador e em como ajudá-lo a enfrentar um momento tão delicado com a presença da pandemia vivida há alguns meses, que transformou o ambiente hospitalar em um cenário de muita tensão.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


A partir do dia 20 de outubro será montada uma exposição com várias ações práticas de humanização aplicadas no HU/UEL pelos gestores do hospital, dentro do projeto "Nosso Jeito de Cuidar e Acolher em Tempo de Pandemia”. As ações, que tem como objetivo oferecer um atendimento humanizado aos pacientes, familiares e colaboradores do hospital, permitem a aproximação entre pacientes e família, reduzindo suas angústias e sofrimento.

Continua depois da publicidade


A equipe gestora das ações de humanização do HU/UEL, entendendo a importância do contato família/paciente, iniciou, em abril, um projeto denominado "Central de Atendimento às Famílias”, que fornece por telefone, informações sobre a evolução clínica do paciente. Os profissionais da Central, que funciona no Hospital de Retaguarda Covid-19, ligam para as famílias fornecendo informações e tirando dúvidas. O contato é diário e acontece das 9 às 11 horas e das 14 às 17 horas.


Segundo a coordenadora do projeto Cida Ramalho, "nos casos em que a permanência dos pacientes ocorre por períodos muito longos de internação e sem visita dos familiares, resolvemos ir além e iniciamos, em junho, visitas guiadas nas UTIs, uma prática que até então nenhum hospital com atendimento ao Covid tinha permitido. Com isso, o HU/UEL se tornou o primeiro hospital do Brasil a proporcionar essa aproximação junto ao paciente e oferecer conforto para a família ao ver seu familiar pessoalmente”, explica.

Continua depois da publicidade


COMO FUNCIONA


Antes de realizarem as visitas, cada familiar passa por um protocolo de recepção e acolhimento que inclui vários cuidados com a segurança: higienização das mãos, medição de temperatura, uso correto de máscara, higienização em casa após as visitas, uso correto de calçados durante a visita, entre outros cuidados. É a própria Central de Atendimento às Famílias que administra as orientações junto ao familiar.


Na entrada das UTIS há a presença de um psicólogo, um enfermeiro e um médico para esclarecerem dúvidas do visitante em relação ao caso do paciente e tratamento.


Para aproximar mais ainda família e paciente a equipe envolvida grava mensagens com a família e transcreve em forma de carta que é lida ao paciente e esse mesmo paciente responde, também por uma carta, que é fotografada e enviada à família por whatsapp.


O resultado das mensagens trocadas superou as expectativas tanto que os servidores também estão recebendo recadinhos dos familiares como forma de reconhecimento e gratidão ao trabalho de qualidade e humanização proporcionado ao paciente e família.


Cida Ramalho revela ainda que o projeto é fruto da política de humanização da atual gestão e teve total apoio das diretorias.

Dentre os projetos de humanização desenvolvidos para os colaboradores e pacientes estão o Se Liga na Música, Protocolo de Segurança para Uso Correto de EPI’s às Famílias dos Pacientes, além da Central de Atendimento às Famílias.


Continue lendo