Pesquisar

Canais

Serviços

- Reprodução
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Exposição às telas

Inimigo oculto: dicas para prevenir os malefício da luz azul na pele

Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
27 mai 2022 às 19:34
Continua depois da publicidade

Em uma sociedade super conectada com todas as tecnologias disponíveis, ter uma rotina que não inclua o uso de celulares ou computadores, é praticamente uma missão impossível. Dessa forma, nos expomos diariamente à famosa luz azul, que apesar de parecer inofensiva comparada com os raios solares, também pode trazer efeitos que irão impactar diretamente a sua pele. Por isso, assim como precisamos nos proteger dos raios UVA e UVB para manter uma pele bonita e saudável, também precisamos fazer o mesmo com as luzes de aparelhos eletrônicos.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Continua depois da publicidade

“A luz azul presente nos celulares, tablets e telas de computadores, é um espectro dentro da luz visível, basicamente a parte da luz que  vemos. Ela é a que mais atinge  o nosso corpo e que leva a consequências a longo prazo, pois possui o poder de alcançar a derme profundamente nas camadas, onde fica localizado o colágeno e a elastina. Essa luz estimula  a produção de radicais livres, acelerando o envelhecimento precoce, o surgimento de linhas de expressões e causando o aparecimento de manchas e do melasma na pele”, explica o dermatologista Amilton Macedo, que atua na área de medicina preventiva há mais de 28 anos, e atende nomes como Izabel Goulart, Fiuk e Ana Hickmann, entre outros.

Além das telas dos eletrônicos, a iluminação residencial também pode ser maléfica à nossa pele, isso porque as lâmpadas quentes ou incandescentes, emitem raios prejudiciais que tendem a ser nocivos à nossa derme. Para proteger a pele da radiação emitida pelas telas de eletrônicos, são necessárias algumas atitudes e hábitos diários, o dermatologista Amilton Macedo, dá 4 recomendações que irão colaborar para manter sua pele saudável e bonita.

Continua depois da publicidade


1. Utilize o protetor solar

Para se proteger da luz azul o mais recomendado é o filtro solar com FPS superior a 30 e com cor, isso porque, para se proteger da luz visível com dermocosméticos, é necessária a utilização de uma barreira física em sua composição, como o óxido de ferro, que minimiza o efeito da luz que passa pelo produto. Além do protetor solar, produtos à base de ácido hialurônico e vitamina E, também podem ajudar a nossa pele contra  os efeitos dessa luz.


2. Evite a exposição prolongada às telas de eletrônicos

Os aparelhos celulares e tablets são os grandes responsáveis pela emissão da luz azul, que é a grande prejudicial à nossa pele. Por isso evite o uso por longas horas, mas em especial durante o período da noite. Outra dica é a substituição do ajuste automático de luz de acordo com o horário, utilize aplicativos que alterem a luz dos eletrônicos do azul para o amarelo ou alaranjado, que são menos prejudiciais à pele.


3. Aposte nos antioxidantes

A vitamina C associada ao protetor solar potencializa a ação do produto, auxiliando no combate dos radicais livres e os efeitos antioxidantes, os grandes responsáveis pelo envelhecimento precoce da pele e pelas  manchas de melasma.


4. Utilize películas de proteção contra a luz azul

Já existem no mercado películas que podem nos  auxiliar com a proteção contra a  luz azul, elas conseguem barrar a emissão de luz e minimizar seus efeitos da luz em nossa pele e organismo.

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade