Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Dengue

Levantamento mostra presença do Aedes aegypti em 6 mil locais no Paraná

Redação Bonde com Agência Estado
04 fev 2021 às 10:29
- Divulgação/Fiocruz
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A Secretaria Estadual da Saúde reforça o alerta à população sobre a importância de eliminação de criadouros do mosquito Aedes aegypti para prevenção da dengue. São 2.270 casos confirmados segundo o boletim semanal desta terça-feira (02) . Um aumento significativo se comparado ao último informe, com 1.946 confirmações. A Secretaria da Saúde publicou também o levantamento dos principais criadouros de Aedes aegypti entre 1º e 29 de janeiro de 2021.


Para o secretário Beto Preto, "Estamos vivendo a pandemia pela Covid-19, mas as outras doenças não pararam de fazer vítimas e a dengue é uma delas. Porém, para prevenir a dengue, nós sabemos o que fazer, não é novidade. Precisamos acabar com espaços e objetos que acumulam água, esses são os criadouros do mosquito”.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


De acordo com o Boletim, os depósitos ou criadouros passíveis de remoção são os locais onde mais foram identificadas amostras de água com depósitos positivos para o mosquito causador da Dengue, Zika e Chikungunya.

Leia mais:

Imagem de destaque
UNIDADE DO JARDIM DO SOL

Após desabamento de forro, UPA de Londrina pode ser transferida para prédio na Faria Lima durante obras

Imagem de destaque
PARA CRIANÇAS DE 10 E 11 ANOS

Cambé inicia vacinação contra dengue nesta terça-feira (27)

Imagem de destaque
Mais de 58 mil casos no PR

Brasil ultrapassa 650 mil casos de dengue; 94 mortes desde o início do ano

Imagem de destaque
Entenda

'Quadro psicótico', diz Vanessa Lopes ao falar sobre o que a fez sair do BBB


Foram encontradas larvas e pupas do mosquito em 6.125 locais. Entre eles, 2.283 estavam em recipientes plásticos, garrafas, latas, sucatas em pátios e ferro velhos e entulhos de construção.

Publicidade


Outros depósitos comuns, com 1.584 locais positivos para o Aedes aegypti são vasos de flores, frascos com água, pratos, pingadeiras, recipientes de degelo em geladeiras, pequenas fontes ornamentais, materiais estocados para construção civil e objetos religiosos.


O secretário estadual reforçou que ações individuais são fundamentais para evitar casos de dengue. "Dentro da nossa casa, do nosso terreno, da nossa loja ou outro espaço que ocupamos, temos o dever de eliminar espaços e objetos que possam acumular água. Essa ação parece boba, mas é com a simplicidade que podemos eliminar as larvas do mosquito e não deixar que ele contamine pessoas”, disse Beto Preto.

Publicidade


CONTROLE - As Diretrizes Nacionais para a Prevenção e Controle de Epidemias de Dengue preveem o controle vetorial, que é a eliminação dos mosquitos, como um dos componentes principais para combate à dengue e outras arboviroses. Como as ações devem ser conjuntas e intersetoriais, devem envolver e responsabilizar tanto os gestores quanto a sociedade.


DADOS – As informações do Boletim resultam do período epidemiológico com início em agosto de 2020 e término no final de junho de 2021. Em comparação ao mesmo período de 2020, os números de casos confirmados de dengue são menores, eram 10.882 no ano passado e 2.270 neste ano.


JACAREZINHO – No sábado (30), o município de Jacarezinho e a 19ª Regional de Saúde realizaram um mutirão para eliminar possíveis criadouros do Aedes aegypti. A ação envolveu centenas de pessoas que percorreram bairros da cidade.

O resultado foi a retirada de uma grande quantidade de lixos e entulhos presentes em quintais e terrenos que poderiam acumular água parada. No próximo sábado será realizado um novo mutirão, contemplando bairros que não tiveram a passagem das equipes neste primeiro dia de limpeza e completando a ação, percorrendo então toda a zona urbana de Jacarezinho.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade