Pesquisar

Canais

Serviços

Reprodução/Emerson Dias
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Multiprofissional

Londrina implanta ambulatório para atendimento da população trans

Redação Bonde com N.com
20 out 2021 às 17:55
Continua depois da publicidade

A Prefeitura de Londrina, por meio da SMS (Secretaria Municipal de Saúde), implantou um ambulatório multiprofissional para cuidado integral da saúde de pessoas trans e travestis, no CIDI (Centro Integrado de Doenças Infeccionas), que fica na Alameda Manoel Ribas, 1. O serviço está em vigor desde o dia 5 de outubro e oferece diversos serviços voltados a este público.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


O ambulatório atende pessoas trans e travestis em processo de hormonização. Dentre os serviços oferecidos estão: acolhimento e atendimento de enfermagem; e realização de testes rápidos para rastreio de ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis).

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


Também são ofertados acompanhamento integral de saúde com profissional da Medicina de Família e Comunidade: saúde mental, acompanhamento de doenças crônicas, hormonização; solicitação de exames laboratoriais e de imagem, os quais são  realizados nos laboratórios conveniados com a Prefeitura; apoio do serviço social do CIDI; 


Ainda há encaminhamento ao CPATT (Centro de Pesquisa e Atendimento para Travestis e Transexuais) de Curitiba se necessário (para os que querem entrar para fila de cirurgia e acesso aos medicamentos da hormonização gratuitamente).


O ambulatório multiprofissional executa um trabalho em rede com a APS (Atenção Primária à Saúde), pois o encaminhamento dos pacientes ao ambulatório é feito por médico ou enfermeiro das UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e passa por regulação da Diretoria de Regulação em Saúde, de acordo com a prioridade de cada agendamento. Para prestar um bom atendimento, os profissionais têm passado por capacitações, nesta temática.

Continua depois da publicidade


A médica Beatriz Zampar, supervisora do Programa de Medicina de Família e Comunidade do Município, destacou que o ambulatório representa uma garantia de direitos para a população. “Com isso, fazemos valer os princípios do SUS (Sistema Único de Saúde), como a universalidade, ou seja, todos têm direito ao acesso à saúde; a integralidade, todos têm direito de serem olhados como um todo, nos aspectos biológico, social e psicológico; e equidade, conceito importante quando falamos sobre a população trans, que significa ofertar o que cada pessoa necessita, de forma equânime, de acordo com a complexidade da demanda de cada pessoa”, enfatizou.


O local conta com profissionais de diversas áreas, como enfermeira, médicos de família e comunidade, técnicos de enfermagem, assistente social, farmacêutico, além do trabalho em rede ligado à Atenção Primária à Saúde e outros serviços da SMS. Ele fica no CIDI e funciona de segunda a quinta-feira, das 13h30 às 17h. Dúvidas e informações podem ser obtidas no telefone (43) 3373-0174 e e-mail [email protected]

Continue lendo