Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Boletim semanal

Mais seis mortes por dengue são confirmadas em Londrina

Redação Bonde
14 mai 2024 às 19:19
- Sérgio Ranali/Arquivo Folha
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) divulgou o boletim semanal da dengue nesta terça-feira (14). De acordo com os dados, Londrina tem mais seis mortes confirmadas em decorrência da doença. São cinco mulheres e um homem. Veja mais detalhes abaixo:


- Paciente sexo feminino, 95 anos, sem comorbidades, residência em Londrina – 17 RS Londrina. Data do óbito 19/04/2024.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade

- Paciente sexo masculino, 89 anos, com comorbidades (Doença auto imune), residência em Londrina – 17 RS Londrina. Data do óbito 21/04/2024.

Leia mais:

Imagem de destaque
Boletim semanal

Saúde registra morte de bebê de nove meses por dengue no Paraná

Imagem de destaque
Cuide-se!

Covid mata mais do que dengue em 2024

Imagem de destaque
O ex-MC Bin Laden

MC Binn diz que vai iniciar um novo tratamento contra ansiedade: 'Se agravou na casa do BBB 24'

Imagem de destaque
Centro-Norte

Apucarana registra aumento de 79% de mortes por doenças respiratórias no primeiro quadrimestre

- Paciente sexo feminino, 31 anos, sem comorbidades, residência em Londrina – 17 RS Londrina. Data do óbito 16/04/2024.

Publicidade

- Paciente sexo feminino, 78 anos, com comorbidades (HAS), residência em Londrina – 17 RS Londrina. Data do óbito 16/04/2024.

- Paciente sexo feminino, 54 anos, com comorbidades (DM), residência em Londrina – 17 RS Londrina. Data do óbito 08/04/2024.

Publicidade

- Paciente sexo feminino, 93 anos, com comorbidades (HAS), residência em Londrina – 17 RS Londrina. Data do óbito 02/05/2024.


Além de Londrina, outras quatro cidades da 17ª Regional de Saúde tiveram mortes pela doença, sendo quatro em Cambé, uma em Primeiro de Maio, cinco em Rolândia e uma em Sertanópolis:

Publicidade


- Paciente sexo feminino, 85 anos, sem comorbidades, residência em Cambé – 17 RS Londrina. Data do óbito 16/03/2024.

- Paciente sexo masculino, 70 anos, com comorbidades (HAS + DM), residência em Cambé – 17 RS

Publicidade

Londrina. Data do óbito 30/03/2024.

- Paciente sexo feminino, 88 anos, sem comorbidades, residência em Cambé – 17 RS Londrina. Data do óbito 21/03/2024.

Publicidade

- Paciente sexo masculino, 64 anos, com comorbidades (DM), residência em Cambé – 17 RS Londrina. Data do óbito 20/04/2024.

- Paciente sexo masculino, 77 anos, com comorbidades (Cardiopata), residência em Primeiro de Maio – 17 RS Londrina. Data do óbito 25/03/2024.

Publicidade

- Paciente sexo feminino, 81 anos, com comorbidades (HAS + DM), residência em Rolândia – 17 RS

Londrina. Data do óbito 23/03/2024.

- Paciente sexo feminino, 87 anos, com comorbidades (HAS), residência em Rolândia – 17 RS Londrina. Data do óbito 07/04/2024.

- Paciente sexo feminino, 94 anos, com comorbidades (Insuf Renal Crônica), residência em Rolândia –17 RS Londrina. Data do óbito 02/04/2024.

- Paciente sexo feminino, 51 anos, sem comorbidades, residência em Rolândia – 17 RS Londrina. Data

do óbito 05/04/2024.

- Paciente sexo feminino, 88 anos, sem comorbidades, residência em Rolândia – 17 RS Londrina. Data do óbito 24/03/2024.

- Paciente sexo masculino, 87 anos, com comorbidades (HAS), residência em Sertanopolis – 17 RS

Londrina. Data do óbito 07/04/2024.


Em relação aos óbitos do período epidemiológico 2023/2024, as Regionais com mais mortes são a 17ª de Londrina (54), 10ª de Cascavel (44), 20ª de Toledo (32), 8ª de Francisco Beltrão (30) e 16ª de Apucarana (26). Já os municípios que registram maior número de óbitos são Londrina (29), Cascavel (29), Toledo (20), Apucarana (16), Cornélio Procópio (11) e Rolândia (11).


A Regional com mais casos confirmados até o momento é a 8ª RS de Francisco Beltrão, com 48.793 diagnósticos. Na sequência estão a 10ª RS de Cascavel (46.819), 17ª RS de Londrina (36.044), 16ª RS de Apucarana (33.897), 15ª RS de Maringá (29.942) e 11ª RS de Campo Mourão (26.598).


As cidades com mais casos são Londrina (24.631), Cascavel (23.328), Maringá (17.971), Apucarana (17.522) e Francisco Beltrão (13.690). Há 398 municípios com confirmações de dengue – apenas Agudos do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, não tem casos confirmados.


Nesta semana, o Paraná confirmou 38 mortes e 27.627 novos casos da doença. São 277 mortes no total, 359.431 casos confirmados e 669.301 notificações. 


Os óbitos registrados no informe desta semana ocorreram entre 16 de março e 2 de maio. São 13 homens e 25 mulheres com idades entre 1 dia (complicações pós-cesariana de emergência de mãe com epilepsia e dengue) e 96 anos, residentes em 16 municípios: Curitiba, Pinhais, Ponta Grossa, Foz do Iguaçu, Medianeira, São Miguel do Iguaçu, Cascavel, Apucarana, Cambé, Londrina, Primeiro de Maio, Rolândia, Sertanópolis, Palotina, Toledo e Curiúva. Desse total, 27 pessoas apresentavam comorbidades.


ZIKA E CHIKUNGUNYA


Informações sobre chikungunya e zika, transmitidas também pelo mosquito Aedes aegypti, são apresentadas no mesmo documento. Não houve o registro de novos casos de chikungunya, que somam 127 confirmações e 1.532 notificações da doença no Estado. Desde o início deste período não houve confirmação de casos de zika vírus, com 122 notificações registradas.


CONSCIENTIZAÇÃO


Buscando reforçar estratégias de conscientização, o secretário estadual da Saúde, Beto Preto, esteve na 6ª reunião do Comitê Gestor Intersetorial para o Controle da Dengue. O comitê conta com a participação de diversas entidades como secretarias estaduais, órgãos governamentais e representantes do Serviço Social do Comércio (Sesc/PR).  Durante o encontro, foram abordados o panorama epidemiológico da dengue no Paraná e as medidas em andamento, além da importância de ações integradas na luta contra a doença.


"Embora os números epidemiológicos sejam altos, estamos notando o início de uma tendência de queda no registro de casos e notificações. Isso se dá, entre outros fatores, pela chegada de temperaturas mais frias, que dificultam a reprodução do mosquito. No entanto, essa tendência não dá margem para nos descuidamos. Pelo contrário, é preciso incentivar a conscientização, principalmente em relação à remoção de criadouros para que possamos acelerar ainda mais esse processo de superação da doença", destacou o secretário.


O Ministério da Saúde divulgou nesta terça um relatório que aponta que 24 estados e o Distrito Federal registram queda na incidência da doença e apenas dois seguem em cenário de estabilidade (Maranhão e Mato Grosso). Até o momento, o País possui 4,7 milhões de casos prováveis da doença e os óbitos totalizam 2,5 mil. Os dados são referentes à Semana Epidemiológica 19. (Com informações da AEN)


Imagem
Chikungunya tem maior letalidade que a dengue no Brasil
Pelo menos 102 pessoas morreram após serem infectadas pelo vírus Chikungunya no Brasil em 2024. Há ainda 106 óbitos em investigação. Os números foram divulgados nesta terça-feira (14) pelo Ministério da Saúde. A secretária de Vigilância em Saúde
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade