Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Boletim

Saúde confirma dois óbitos por dengue em Londrina

AEN
19 mar 2019 às 18:08
- Agência Brasil
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade


A Sesa (secretaria de Estado de Saúde) divulgou nesta terça-feira (19) o boletim epidemiológico com a confirmação de duas mortes por dengue em Londrina. Os dois óbitos aconteceram de 03 a 07 de março, em Londrina (17ª Regional de Saúde), área considerada de alta infestação e estavam sob investigação.

São dois homens: um de 89 anos, sem comorbidades (problemas de saúde) registradas, e outro de 60 anos, com hipertensão arterial. Os dois casos são autóctones, ou seja, foram contaminados no próprio município onde moravam.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


A forma grave da doença aparece em Londrina (6 casos), Foz do Iguaçu (3 casos) e Sertanópolis (1 caso).

Leia mais:

Imagem de destaque
Tratamento de diabetes 2

Ainda indisponível no Brasil, importar Mounjaro custa mais de R$ 5 mil por tudo

Imagem de destaque
Neurocirurgião explica

Saiba o que é hematoma subdural, que atingiu Tony Ramos

Imagem de destaque
Gripe, Covid-19 e dengue

Cambé promove mais um Dia D de vacinação neste sábado

Imagem de destaque
Frontoplastia

Brunna Gonçalves faz cirurgia para reduzir a testa; entenda o procedimento


Com relação a Londrina os casos estão mais concentrados na zona Sul da cidade, região muito populosa e que tem um índice de infestação do mosquito. Um dos óbitos é da região e o outro da zona oeste da cidade.

Publicidade


Inúmeras atividades estão sendo feitas no município, como, por exemplo, tratamento e remoção de criadouros, bloqueio de casos, processos educativos permanentes, mutirão de limpeza, limpeza de fundos de vale, trabalhos educativos em escolas e associação de moradores. As ações envolvem município, Regional de Saúde, universidades e a população de um modo geral.


A 17ª Regional de Saúde também está atuando com 12 unidades de UBV que estão realizando o fumacê. Já foram encerrados os sete ciclos e os técnicos estão analisando a necessidade de outros dois.

Publicidade


A aplicação de fumacê acontece sempre que há solicitação do município ou indicação técnica.


"A dengue é uma doença preocupante e precisamos da ajuda da população para combatê-la. A Secretaria de Saúde, em parceria com os municípios, vem agindo sistematicamente. A nossa preocupação é que hoje os casos da doença estão mais graves e muitos focos do mosquito estão nas residências. Portanto, essa luta contra o Aedes aegypti é de todos nós", alerta o secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto.

Publicidade


Além dessas medidas, o alerta é para que a população adote os cuidados evitando acúmulo de água parada, lixo e entulhos nos quintais, limpeza de terrenos e de caixas d´água. "Qualquer recipiente com água parada pode se transformar num criadouro. O fumacê mata o mosquito que está voando", diz Ivana Belmonte, médica veterinária da Vigilância Ambiental, da secretaria de Saúde do Paraná.


Números

Publicidade


Os dados divulgados nesta terça-feira mostram o crescimento de 226 casos autóctones confirmados no Paraná. Na semana passada a incidência no estado era de 8,03 casos autóctones por 100 mil habitantes e nesta semana são 10,5 para cada 100 mil habitantes. Eram 896 casos na semana passada e hoje são 1.122 casos, todos contraídos nos próprios municípios de residência. Se forem acrescentados os casos importados, de pessoas que foram contaminadas fora do município de origem, o total é de 1.197 casos de dengue no Paraná.


Na semana passada 108 municípios apresentavam casos confirmados da doença e nesta semana são 116. O número de municípios com notificações passou de 290 para 299.

Lupionópolis, Uraí, Itambé e Santa Mariana são considerados municípios em epidemia e Moreira Sales, Rancho Alegre, Santo Antônio do Paraíso, Abatiá, Capanema e Nova Londrina estão em alerta.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade