Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
E procedimentos

Saúde incorpora cinco novos medicamentos ao SUS

Raquel Lopes - Folhapress
23 mai 2024 às 13:40
- Arquivo/Agência Brasil
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O Ministério da Saúde incorporou cinco novos medicamentos e procedimentos ao SUS (Sistema Único de Saúde) para atender pessoas com HIV, câncer de pulmão, asma e doença de Crohn.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Leia mais:

Imagem de destaque
Aumento de internações

Chegada do inverno eleva casos de síndrome respiratória no país, diz Fiocruz

Imagem de destaque
Alerta para a população

Prevenção de quedas: saiba como minimizar os riscos para idosos

Imagem de destaque
Mais segurança a empregadores

Saúde vai mudar emissão de atestados médicos para evitar fraudes em Londrina

Imagem de destaque
Prevenção e diagnóstico precoce

Crianças matriculadas em escolas municipais da zona norte terão atendimento oftalmológico neste sábado

Segundo a pasta, a estimativa é de que, nos próximos cinco anos, mais de 14 mil pacientes possam receber cuidados com esses novos medicamentos e procedimentos.

Publicidade


Na área da oncologia, foi incorporado um novo método de monitoramento de funções neuronais, utilizado em cirurgias de retirada de câncer no cérebro. O procedimento auxilia os médicos nos procedimentos cirúrgicos.


Também foi incorporado o medicamento durvalumabe, que é usado no tratamento de pacientes com câncer de pulmão. A recomendação é que seja utilizado somente em casos em que o tumor não pode ser removido cirurgicamente.

Publicidade


Para pessoas com HIV, o ministério passará a oferecer o medicamento fostensavir trometamol para o tratamento de pacientes adultos multirresistentes infectados pelo vírus. O medicamento é uma alternativa aos antirretrovirais disponíveis atualmente.


Na questão das doenças crônicas, foi ampliado o uso do medicamento mepolizumabe para o tratamento de pacientes com asma, com idades entre 6 e 17 anos. O medicamento já é usado no tratamento de adultos.


Houve a incorporação também do monitoramento do calprotectina fecal no intestino de pacientes com doença de Crohn. Trata-se de um biomarcador que apoia o diagnóstico e o monitoramento de pacientes com a enfermidade, indicando atividade inflamatória. É um procedimento menos invasivo.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade