Pesquisar

Canais

Serviços

- Divulgação
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Medicina

Uso de células-tronco contribui no tratamento de doenças

Redação Bonde
12 dez 2011 às 15:11
Continua depois da publicidade

A medicina passou por uma revolução após a descoberta do uso de células-tronco adultas em tratamentos médicos. As primeiras a serem usadas foram as presentes na medula óssea. Mas na década de 1980 descobriu-se que o sangue do cordão umbilical era rico em células-tronco adultas novas, que não foram afetadas por radiação, medicação e estresse. E, a partir de então, elas também começaram a ser utilizadas na medicina.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

As células-tronco do cordão umbilical são células coringas, capazes de se transformar em qualquer tecido do corpo humano, como ossos, vasos sanguíneos, pele, músculo, neurônio, entre outros. Hoje, mais de 80 doenças hematológicas, como por exemplo, leucemias, linfomas e mielomas, já são tratadas com essas células. Além disso, há muitas pesquisas em diversas áreas médicas, como na neurologia, oncologia, cardiologia e ortopedia, que trazem resultados positivos, aumentando a possibilidade das células-tronco do cordão umbilical ser usadas para tratar outras enfermidades.

Continua depois da publicidade


Segundo a Dra. Adriana Homem, médica responsável técnica do Banco de Cordão umbilical Brasil (BCU Brasil), o armazenamento dessas células é essencial para o avanço dos estudos científicos e para o uso nos tratamentos terapêuticos.


Para preservar o sangue do cordão umbilical, os pais podem armazenar as células em um banco privado ou doar para um banco público. A diferença entre estes tipos de bancos é que no privado as células-tronco retiradas do sangue são do próprio bebê. Já no público é feita uma doação para a primeira pessoa compatível que necessitar.


"Nós estamos confiantes de que nos próximos anos o número de células-tronco do cordão umbilical irá aumentar no Brasil. Por isso é importante que a população seja orientada a coletar essas células quando os seus filhos nascem", diz a Dra. Adriana.

Continua depois da publicidade

MARSI - Assessoria de Imprensa e Comunicação


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade